O presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari, explanou sobre os trabalhos em andamento, entre eles o projeto de naufrágios controlados e o Programa Orla Mais Segura, que prevê melhorias nas estruturas de ordenamento náutico

 

(Assessoria de Imprensa)

Projetos voltados ao fomento do turismo náutico e da economia do mar estiveram na pauta da reunião realizada nesta sexta-feira (09), na Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina  (Santur), em Florianópolis, com o Capitão de Mar e Guerra da Capitania dos Portos de Santa Catarina, Caio Vinícius Cesar Feitosa. 

O presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari, explanou sobre os trabalhos em andamento, entre eles o projeto de naufrágios controlados e o Programa Orla Mais Segura, que prevê melhorias nas estruturas de ordenamento náutico.

- Para o balizamento náutico, que pela primeira vez na história será realizado pelo Estado para reforçar as estruturas de segurança do tráfego aquaviário e dos banhistas, contamos com o apoio da Capitania para realizar o levantamento do que seria necessário. Essa parceria é muito importante tanto na parte da fiscalização como na orientação aos banhistas - destaca Ferrari.

Para a execução do balizamento nos principais balneários do estado, envolvendo cerca de 25 municípios, a Santur está realizando o processo licitatório para compra de equipamentos. Serão adquiridos boias, manilhas, sapatilhas, poitas, distorcedores e cabos, em conformidade com as Normas da Autoridade Marítima para Auxílios à Navegação (NORMAM 17) e recomendações da Marinha do Brasil e Capitania dos Portos de Santa Catarina.

O projeto de naufrágios controlados prevê a realização de estudos técnicos sobre os locais dos afundamentos, aquisição de embarcações e logística. Preliminarmente, foram sugeridos pela Santur cinco pontos de naufrágio na costa catarinense. 

Além da conservação da biodiversidade marinha e recuperação de habitats, os naufrágios controlados propiciam a formação de recifes artificiais e geram impactos relevantes nas atividades turísticas, com o desenvolvimento do turismo ecológico subaquático, de pesca esportiva e também estudos científicos. 

Siga-nos