Tombada em 1946, a igreja está inscrita no Livro do Tombo Histórico do Iphan

Situada no alto de uma longa escadaria, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Vitória (ES), se destaca na paisagem capixaba. Para garantir o acesso com segurança ao templo, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, vai investir R$ 350 mil em obras de contenção estrutural e conservação do monumento.

As melhorias vão devolver a Igreja aos fiéis e turistas, já que celebrações e visitações estavam suspensas desde maio de 2019 devido aos riscos no acesso ao bem cultural. Os trabalhos se iniciaram no dia 05 de outubro, e estão previstos para serem finalizados em quatro meses.

O escopo das intervenções contempla a resolução de problemas estruturais dos muros, serviços no sistema de drenagem, recuperação da rampa metálica e das alvenarias, pintura externa, instalação de guarda-corpo na escadaria frontal, dentre outras ações.

Tombada em 1946, a igreja está inscrita no Livro do Tombo Histórico do Iphan. Mas a história da edificação se inicia muito antes, ainda no século XVIII. A construção do templo foi iniciada em 1765. Na época, encontrava-se afastada do núcleo original da povoação da Vila de Vitória e a entrada principal do templo era voltada para o mar.

De arquitetura e altares barrocos, sua estrutura principal foi erguida, em apenas dois anos, pelos membros da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. Ao longo dos anos, a edificação testemunhou o crescimento da cidade ao redor sem deixar de permanecer como um marco para os capixabas.