Uma das nódoas do governo Fernando Henrique foi à contratação da Bia Lessa para cuidar da participação do Brasil na Exposição Universal de Hannover, a Expo 2000 na Alemanha. A artilharia pesada do PT incluiu até o filho do Presidente FHC, Paulo Henrique Cardoso. Na época foram gastos 14 milhões de reais. Agora o Governo Federal cuida da nossa participação na Exposição Mundial que ocorrerá em Milão. A previsão é gastar 50 milhões de euros, ou seja, mais de 150 milhões de reais. Quem está pilotando a gastança é a Apex. O Itamaraty foi colocado de lado. Comandada por gaúchos a Agência de Promoção Internacional delegou a montagem a uma empresa paulista, pilotada por um gaúcho. Enfim, uma operação sem a participação direta do Itamaraty ou da Embratur onde o turismo é mero coadjuvante.
Na ultima exposição mundial, realizada na China houve também um mesmo manto de nebulosidade. Se a Embratur tivesse 150 milhões de reais na mão para promoção internacional e se está verba fosse investida em projetos chancelados pelos Trade a situação seria diferente. Para promover decentemente o Brasil nunca há verba e quando há ela é torrada sem que os atores interessados sejam chamados para participar.
Se forem usada agora à mesma planilha de denúncias feitas pelo PT sobre a Expo 2000 no que está sendo gasto na Expo 2015, em Milão, um novo escândalo poderá ser detonado.
O problema destas ações no exterior é que a fiscalização do Tribunal de Contas da União fica limitada. Torrar 50 milhões de Euros num único projeto sem que tenha uma curadoria ampla é pedir para apanhar. Uma exposição mundial, ainda mais na Itália, é importante para o Brasil. A longa duração da mostra e o público impactado justifica até investimento maior, o que não pode ocorrer é fazer evaporar está verba sem uma discussão mais ampla de como ela será gasta. O turismo não pode ficar de fora deste processo decisório.

 

Air TKT passa pelo Cade?

O que tem sido revelado sobre a atuação da Air TKT, a empresa/entidade que está sendo criada pelos maiores consolidardes do país, levanta uma questão no ar. Como o volume de vendas conjunto será superior a 60% das realizadas pelo segmento, não seria o caso de ter um parecer do CADE para que o modelo de negócio ocorra?

 

Antonov baiano

Está avançando a ideia da fábrica de Aviões Antonov de deixar a Ucrânia e passar a ser fabricado em Ilhéus no Sul da Bahia. Como eles estão mandando no Ministério da Defesa é capaz do negócio se concretizar. Tem engraçadinho dizendo que os modelos baianos trocarão de nome, de AN 38-100 vai se chamar Gabriela 100 ou Abará 100.

 

LET Carioca

Lembra o especialista em aviação Daniel Carneiro que o Rio perdeu a chance de ter por aqui a fábrica dos LETs, aviões da República Tcheca que voaram aqui com as cores de Team, fazendo voos regionais. O projeto naufragou com o fim da aérea e após a queda LT-410, no Recife, e em 2006 no Rio matando 19 funcionários da Petrobras.

 

Pesquisa séria

A Agência Amigo, uma das melhores assessorias de imprensa do país e com amplo portfólio no turismo está se consolidando no setor de pesquisa, promovendo análises setoriais profundas e diagnósticos de credibilidade. É pilotada pelos jornalistas Luiz Henrique e Marily Miranda, a Amigo é citada como uma fonte confiável de análises.

 

Recorde

O Porto de Santos deve viver neste final de semana o maior volume de embarque e desembarque da sua história. Enquanto o setor de Resorts sofre com a queda de passageiros a de navios vem bombando. Um dos fatores é a venda antecipada de gabinete.

 

Pré-pago faz sucesso

Como exemplo do sucesso da venda antecipada, amanhã zarpa para Salvador o Zenith, com o Carnavio. Lotado de jovens, o roteiro da Pulmantur será dedicado ao carnaval e ficará dois dias na capital baiana. Os pacotes vendidos parcelados triplicaram de preços na reta final. 80% da lotação foi com pré-pagamento parcelado.

 

Ponto de encontro

Os 70 anos da TAP serão comemorados logo após a BTL em Lisboa. Haverá jantar para os convidados no dia 3 de março. Para a feira a TAP está trazendo 300 buyers de toda Europa, principalmente os interessados no mercado brasileiro. A rodada de negócios ao lado do Brasil foi uma iniciativa de Gisele Lima, da Promo, parceira da BTL.

 

Penalizados

A crise hídrica tem afetado a saúde financeira dos hotéis no Rio e São Paulo. Com ocupação que é sinônimo de consumo alto, só um hotel 5 estrelas no Rio comprou 15 carros pipas em um só dia. A despesa extra foi de 15 mil reais. Um 4 estrelas chegou a gastar em um mês R$ 60 mil com carro pipa. Algum tipo de compensação tem que ser providenciada para a hotelaria.

 

Passivo oficial

Os aeroportos de Campinas e Guarulhos estão sofrendo por conta da operação Lava Jato já o de Confins tem outro problema, se livrar do passivo jurídico deixado pela Infraero. Está colapsado por problemas jurídicos. Agora a justiça federal obrigou a Infraero a manter o contrato com o consórcio Marquise/Normatel que faz a reforma.

 

Terminal dos Tapumes

Os 175 mil passageiros que utilizarão do aeroporto de Confins, de hoje até o dia 18, encontrarão um canteiro de obra inacabado. O novo administrador BH AirPort está paralisado por conta do passivo jurídico que herdou. A Infraero poderá ser responsabilizada por eles por não ter arrumado a casa para depois transferir o comando.


Contato com a coluna: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Leia esta coluna na internet: www.claudiomagnavita.com.br

 

Netshoes