Pin It

Nesta quarta-feira, 9 de outubro, o Hotéis Rio (Sindicato dos Meios de Hospedagens do Município) divulgou balanço da ocupação hoteleira durante o Rock In Rio 2019.

Segundo o sindicato, a segunda semana (de 03 a 06/10) alcançou uma média de 87% de ocupação hoteleira, o que mostra uma elevação com relação à última pesquisa realizada, que havia identificado 84% de quartos ocupados para o mesmo período.

Ainda de acordo com o levantamento, a maior procura ficou concentrada nos dias 4 e 5 de outubro, chegando à média de 96% de ocupação.  A região do Centro, por exemplo, registrou 97% e 98%, respectivamente, nestes dias.

O tempo médio de permanência dos turistas foi de três dias, e a diária média praticada pelos hotéis ficou em R$ 636,09 na primeira semana, e R$ 862,00 na segunda semana.

Na primeira semana (de 27 a 29/09), que registrou média em torno 78% de ocupação, a região de Ipanema/ Leblon foi a preferida pelos turistas, com 87%; seguida por Barra da Tijuca/ São Conrado, com 83%; e Copacabana/ Leme, com 81% de ocupação. Já na segunda semana, os bairros mais procurados foram Flamengo/ Botafogo (94%), Ipanema/ Leblon (87%), Barra/ São Conrado (87%) e Leme/ Copacabana (87%).

Ainda de acordo com o levantamento, a maioria dos turistas é de estados brasileiros, como São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Já de origem estrangeira, a procedência é de norte-americanos, argentinos e franceses.

“A manutenção de um calendário de eventos robusto é um pleito permanente do trade turístico fluminense. É através dos eventos que a cidade consolida seu papel de anfitriã, movimenta seus comércio e restaurantes, incrementa a ocupação hoteleira e gera milhares de empregos. Soma-se a isso uma onda de energia positiva e autoestima para o carioca. É por isso que receber, a cada dois anos, um evento como o Rock In Rio, é um motivo de enorme orgulho. Seria extremamente positivo termos um evento deste porte por ano”, comemora o presidente da ABIH-RJ e do Hotéis Rio, Alfredo Lopes.

 

Os números da organização são impressionantes: 450 mil turistas de 73 países, 25 mil empregos gerados e 1,7 milhão de impacto para a economia.