A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou em discussão única, nesta quinta-feira (25), projeto de lei dos deputados Gustavo Tutuca (MDB) e André Ceciliano (PT), que tomba por interesse turístico, histórico e cultural os cinco trens suíços da década de 1970 que operaram na estrada de ferro do Corcovado até o ano de 2019.
A medida será encaminhada para a sanção do governador em exercício, Cláudio Castro.

“Nossa preocupação é que esses trens pudessem ser erroneamente destinados a sucata. Com essa medida, salvamos um patrimônio de interesse turístico do nosso estado”, declarou o deputado Gustavo Tutuca. Segundo o parlamentar, o leilão dos trens, programado para o fim de março pelo ICMBio, foi cancelado pela instituição.

Ainda de acordo com o projeto de lei, os trens serão doados ao Estado, e o objetivo é que eles sejam usados para turismo em cidades do interior que tem estradas de ferro como Miguel Pereira, Mendes, Japeri, Paracambi, Vassouras e Paty do Alferes. “Retornando à Secretaria de Turismo, vamos conversar com os municípios para definir o melhor uso desse patrimônio”, completou Tutuca.

A tradicional festa do colono alemão de Petrópolis, Bauernfest, foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do estado do Rio de Janeiro. A lei nº 9229 de 25 de março de 2021 foi aprovada pela Alerj, sancionada pelo Governo do Estado e publicada em Diário Oficial nesta sexta-feira (26).

Os deputados estaduais Marina Rocha e Marcio Canella, autores do projeto de lei, ressaltaram a importância regional e nacional do evento na justificativa para tornar a festa um patrimônio cultural.

Considerada o segundo maior evento do Brasil em sua categoria, a Bauernfest já chegou a atrai mais de 200 mil pessoas, movimentando milhões de reais e gerando mais de mil empregos temporários.

Com mais de 10 dias, alguns dos grandes destaques da festa são as comidas típicas alemãs, os chopes e os desfiles. Sua última e 30ª edição aconteceu em junho de 2019, no ano passado a festa precisou ser cancelada por conta da pandemia. 

 

 

 
 

Siga-nos