Estudo mostra que 15,2 milhões de turistas circularão nas regiões de Campinas, Baixada Santista, Litoral Norte, Vale do Paraíba e Grande São Paulo ainda neste ano

De acordo com os dados lançados pelo Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET), da Secretária de Turismo do Estado de São Paulo, as cinco cidades que integram o Circuito Litoral Norte (Bertioga, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba) formam um dos principais destinos domésticos para essa retomada pós-pandemia.

Em um monitoramento que analisou as perspectivas de fluxos turísticos estaduais, foi observado que, tanto o interior, quanto o litoral paulista, seguem com forte demanda de viajantes em busca de isolamento – o chamado turismo de segunda residência.

Além disso, Vale do Paraíba e Litoral Norte figuram como a terceira principal região do Estado em volume de turistas, atrás apenas da capital e Baixada Santista, com uma expectativa de receber mais de três milhões e meio de turistas paulistas.

“A região avaliada pelo CIET inclui a Mantiqueira, as cidades do Vale e o litoral, compondo uma oferta complementar. Os destinos de praia não concorrem com a serra, que não concorre com os roteiros religiosos, nem com o turismo rural, e muito menos com o turismo de negócios baseado na tecnologia, com ênfase na aeroespacial”, acrescenta Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado. “Atrai tanto os moradores da Grande São Paulo, com população de 21,5 milhões de habitantes, quanto os turistas que vêm de diversas cidades do interior e se encantam com as belas praias”.

Segundo o secretário Executivo do Circuito Litoral Norte, Gustavo Monteiro, o trabalho consorciado tem integrado a estratégia regional do Estado e dos municípios, apresentando as atrações turísticas com foco no trade via desenvolvimento dos canais digitais e certos de que a segurança é um fator fundamental para a retomada.

O consórcio turístico, que vem atuando de forma enfática junto aos municípios, SETUR-SP e parceiros como Sebrae e operadoras de turismo para promover a região de forma integrada e proporcionar a retomada das atividades turísticas de forma segura, atribui essas perspectivas positivas às ações, individuais e conjuntas, das cidades desde o início da pandemia.

Para a secretária de Turismo de São Sebastião, Adriana Balbo, os dados fornecidos pelo CIET validam as ações que o município, em parceria com o Circuito Litoral Norte paulista, adotou para fortalecer a economia e a segurança no pós covid-19.

“Nosso município sofreu e ainda sofre uma queda avassaladora em nossa economia, atingindo todos os setores do turismo diretamente. Sendo assim, criamos um comitê com a participação de técnicos de todos os setores do trade e do poder público para avaliar o impacto e criar soluções que foram analisadas prioritariamente pelos órgãos da Saúde municipal e seguindo as orientações da OMS, OMT e Secretaria de Turismo. Assim sendo, o prefeito Felipe Augusto adotou posturas e ações que colocaram São Sebastião com o maior índice de isolamento do Estado, bem como o maior índice de testagem frente ao coronavírus; o que culminou em tornar uma das cidades mais seguras de São Paulo, permitindo uma flexibilização mais precoce em relação aos demais municípios”, afirma a representante da pasta.

A secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Ilhabela, Bianca Colepicolo, também atribui as atuais possibilidades às ações que vem sendo tomadas desde os primeiros meses de isolamento social.

“Ilhabela, desde 1º de junho, tem feito visitas técnicas diárias em todos os estabelecimentos comerciais com a finalidade de confirmar o compromisso com relação aos protocolos. Além disso, instalamos barreiras educativas e sanitárias na entrada da cidade e oferecemos formação online com certificado para seis segmentos diferentes com procedimentos do coronavírus. Com essas ações, temos baixado os números de novos casos proporcionalmente, alcançamos a marca de 25% de testagem na população e, isso tudo garante a flexibilização da cidade”, reforça.

Em Ubatuba, o pioneirismo das ações é considerado fator expressivo para o atual momento. “Desde o início da pandemia, a prefeitura de Ubatuba tomou a frente de várias situações como o fechamento de estradas e de comércio, assim como na reabertura, que trabalhamos desenvolvendo protocolos de segurança e saúde. Acredito que elas foram fundamentais para termos o achatamento da curva e os casos mais diluídos na cidade. Isso, aliado às atividades do Circuito, foi fundamental para consolidar a região como destino seguro e de qualidade, dando a atenção necessária à saúde de nossos visitantes”, ressalta o secretário de Turismo de Ubatuba, Potiguara do Lago.

“A cidade de Caraguatatuba tem se preocupado bastante com o aumento do fluxo turístico e para isso desenvolveu o selo de Turismo Seguro e Responsável do município, para que todo o trade se comprometa a cumprir as normas da vigilância sanitária promovendo uma atividade segura e responsável a todos, tanto turistas, quanto moradores. A preocupação do nosso prefeito é sempre a saúde. E as ações da Secretaria e do consórcio têm sido de apoio ao turismo para fazer com que os turistas e munícipes se sintam seguros neste novo normal que estamos vivendo”, completa a secretária de Turismo de Caraguatatuba, Fernanda Galter Reis.

Perspectiva de gastos também é positiva

O mapeamento do CIET aponta que os gastos dos turistas nacionais no Estado de São Paulo, estimados em cerca de R$ 24,6 bilhões para 2020, terão mais de 74,3% realizados pelos próprios paulistas, ou R$ 18,3 bilhões. Já os turistas internacionais devem injetar na economia paulista aproximadamente R$ 1,4 bilhão em hospedagem, alimentação, transporte local, gastronomia e compras.

Na região que compreende o Vale do Paraíba e Litoral Norte, as previsões de gastos giram em torno de R$ 3,8 bilhões para os turistas nacionais.

Tendo em vista que o turismo é um dos grandes movimentadores da economia regional, principalmente nas cidades litorâneas, essas expectativas positivas vislumbram uma importante retomada pós-pandemia. Segundo o estudo, a presença de turistas paulistas aumentou de 15,5% para 17,6% pós covid-19, o que vem refletindo nessa gradual recuperação do segmento turístico.

“Temos grande expectativa com a retomada do Turismo no Litoral Norte e, em especial, em Bertioga. Hoje existe um grande desejo das pessoas recuperarem sua mobilidade e a demanda reprimida por passeios e viagens é enorme. Paralelo a isso, o comportamento dos turistas também mudou, influenciado pela pandemia. As prioridades, de agora em diante, já não serão mais apenas as opções de lazer e o conforto que o destino disponibiliza. Tão ou mais importante que isso será a segurança sanitária que este destino é capaz de oferecer. O lugar que conseguir mostrar ao turista que visitá-lo é seguro, terá uma vantagem competitiva importante sobre as demais. Nesta linha, Bertioga e as outras cidades do Litoral Norte vêm se preparando por meio de programas de conscientização, capacitação e implementação de protocolos sanitários para disponibilizar aos visitantes a melhor experiência possível, de forma totalmente segura. O turista pode vir para nossa região tendo certeza de que sua saúde é nossa prioridade”, acrescenta o secretário de Turismo de Bertioga, Ney Carlos da Rocha.