Pin It

Em visita ao Ministério da Educação (MEC), nesta terça-feira, 13 de agosto, deputados da comissão externa da Câmara puderam acompanhar e conhecer um pouco mais sobre o programa do Governo Federal: Future-se (principal programa desta gestão do MEC para a educação superior, que possui como objetivo dar maior autonomia na gestão das universidades e institutos federais). Os parlamentares ouviram explicações do secretário de Educação Superior, Arnaldo Lima, sobre o programa. 

Com objetivo de aprofundar a discussão sobre o Future-se, os congressistas 'correm' para o envio do projeto de lei para o Congresso Nacional. 

Durante o encontro, foram destacados alguns pontos principais da proposta: o Fundo Soberano do Conhecimento, os fundos de autonomia das universidades e o funding. Pontos financeiros do programa, esses têm um potencial de até R$ 102 bilhões a serem cooptados pelas instituições.

O secretário citou a importância da publicidade e da transparência do programa. “A consulta pública que está aberta é um primeiro passo. A principal é o Congresso Nacional”, disse. As contribuições serão consolidadas pelo MEC para aperfeiçoar o processo normativo.

"Foi uma reunião bastante produtiva. Conseguimos avançar em pontos que antes não estavam claros", disse a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP). "As universidades de ponta têm maior autonomia financeira. O programa parece estar no caminho certo, agora é ver no papel", complementou o deputado federal Felipe Rigoni (PSB-ES).