0
0
0
s2smodern

A Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil, com apoio do Acervo Otávio Roth e o Centro Cultural Correios, inaugura nesta quarta-feira (8), no Rio de Janeiro, a exposição 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, com obras de Otávio Roth. A mostra apresenta 30 xilogravuras que traduzem os ideais de paz e igualdade defendidos nos artigos do documento. A entrada é franca.

É a primeira vez em mais de 30 anos que as xilogravuras — expostas permanentemente nas sedes da Organização em Nova Iorque, Viena e Genebra — têm exibição no país.

As xilogravuras demoraram dois anos para ficar prontas, sendo exibidas pela primeira vez em 1978. As obras foram, ao longo do tempo, gravadas em várias línguas: norueguês, inglês, francês, japonês, espanhol, dinamarquês e português.

Segundo Isabel, Otávio Roth acreditava que o conteúdo da Declaração era muito importante para ficar restrito aos círculos de profissionais das Relações Internacionais e do Direito, sendo necessária sua disseminação de forma mais didática para as populações do mundo todo. Ele manifestou essa opinião em entrevistas concedidas na época em que lançou o trabalho.

Para Isabel, um dos eixos que movem as obras de Otávio é o entendimento de que a informação precisa ser compartilhada, princípio que, segundo ela, estava presente tanto em seu trabalho artístico como em suas atividades de pesquisador, curador e professor.