0
0
0
s2smodern

Na manhã de hoje (terça-feira, dia 30), a Associação de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro organizou um café da manhã no hotel Hilton com a presença do secretário de Estado de Turismo, Nilo Sérgio Félix, e do secretário de Estado de Saúde, Luiz Antonio de Souza Teixeira Júnior, para esclarecimentos ao trade turístico a respeito do impacto da febre amarela na atividade turística do estado.

A reunião foi prestigiada pela presidente da Abav Rio, Cristina Fritsch; pela presidente da Abeoc, Adriana Homem de Carvalho; pelo presidente seccional Rio da Abrasel Roberto Maciel (Roque); além dos cônsules do Chile, Argentina, Estados Unidos, França e representante do consulado do Canadá.  

O secretário de Estado de Saúde, Luiz Antonio de Souza Teixeira Júnior garantiu que, até este momento, a capital do Rio de Janeiro não tem registro de Febre Amarela,  por isso não há motivos para cancelamentos de viagens e passeios na natureza. Os casos no estado até o momento estão isolados no interior, especialmente em áreas rurais. Outro destino muito procurado pelos turistas no verão, a Baía da Ilha Grande, que inclui as regiões  turísticas de Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty, também não foi afetado até o momento.

O secretário explicou que as doses fracionadas disponíveis na campanha têm validade comprovada por até 8 anos, mas para emissão de certificado internacional é necessária solicitar a dose plena, mediante confirmação. Ele também lembrou que, desde abril de 2017, a vacina da febre amarela está nas recomendações pela Organização Mundial de Saúde para turistas internacionais que entram no país, mas que no Rio de Janeiro a campanha tem caráter preventivo, já que não foi identificada circulação de vírus na área urbana. O Rio de Janeiro é o estado brasileiro que mais aplicou vacinas de Febre Amarela em 2017.

 

Agências de Viagens

Geração millenium é responsável por quase metade das compras de passagens aéreas no Brasil

Segundo levantamento da agência ViajaNet, jovens entre 18 e 34 anos respondem por 45,34% do comércio de bilhetes aéreos e já são maioria no País

Segundo pesquisa exclusiva da agência virtual ViajaNet, a geração millenium já responde por 45,34% do total de vendas de passagens aéreas no Brasil. A participação dos consumidores entre 18 e 34 anos representa o público que mais compra bilhetes aéreos no País.

De acordo com o levantamento, que avaliou o perfil de compra de janeiro a agosto deste ano, os consumidores entre 35 e 54 anos representam 38,94% das vendas de passagens aéreas. E a menor participação ficou na população da terceira, com consumidores acima de 55 anos, com 15,72% dos bilhetes comprados.

vendas de passagens aéreas por faixa etária de consumidores