A ONU Mulheres Brasil divulgará pesquisa de opinião pública sobre mulheres na política e o interesse da sociedade brasileira por políticas públicas nas áreas de educação, saúde, segurança pública e transporte público, nesta sexta-feira (14/9), às 9h30, na Casa da ONU, em Brasília.

O estudo é realizado em parceria com o Ibope e o Instituto Patrícia Galvão e revela, a partir de dados coletados em agosto de 2018, a consolidação da demanda existente na sociedade brasileira por ações governamentais, partidárias e institucionais por igualdade de gênero.

Além da apresentação dos dados, haverá o lançamento da plataforma #Brasil5050, que busca a adesão de candidaturas com políticas voltadas à igualdade de gênero.

Após a apresentação da pesquisa e do lançamento da plataforma #Brasil5050, a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, a socióloga Fátima Pacheco Jordão e a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, analisarão os resultados da pesquisa e responderão a perguntas de jornalistas.

O projeto #Brasil5050 é uma iniciativa da ONU Mulheres para incentivar a participação das mulheres na política e a adoção de políticas para as mulheres para eliminar as desigualdades de gênero, raça e etnia. No contexto das eleições 2018, em que o voto das mulheres será decisivo, a plataforma visa fortalecer o debate sobre direitos, igualdade de gênero e cidadania.

Por meio da plataforma, as candidaturas poderão se comprometer em apoiar e promover, durante a campanha e em caso de eleição, uma série de ações para o empoderamento e os direitos das mulheres, e a construção da igualdade de gênero em apoio à implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Uma pesquisa similar realizada em 2017, também pelo Ibope e pela ONU Mulheres Brasil, já havia apontado a importância de cidades e políticas específicas para a igualdade de gênero e a maior expectativa – especialmente da população negra – de melhoria significativa dos serviços de saúde, educação, transporte público e segurança.

A pesquisa Ibope/ONU Mulheres 2017 foi o primeiro levantamento nacional a produzir um indicador de demanda por igualdade de gênero, que se confirma no estudo atual.