Portugal tem muitas experiências acadêmicas incríveis. Os portugueses desfrutam de rituais muito diferentes, como a queima das fitas e as tunas acadêmicas. A primeira é uma festa anual que ocorre no mês de maio e dura uma semana, com diversos shows e celebrações. Já as tunas são grupos musicais formados por estudantes que guardam uma tradição centenária das universidades do país.

Este costume é forte em Coimbra, cidade do Centro de Portugal que é lar da universidade mais antiga do país, a Universidade de Coimbra. As tunas surgiram por lá há mais de cem anos, e desde então vários grupos foram formados e desfeitos. No início, eram exclusivos para homens, mas as mulheres logo conquistaram seu espaço nessa arte.

Os membros das tunas costumam usar os trajes da universidade – que incluem camisa social, gravata e uma longa capa preta – e apresentar canções portuguesas populares e divertidas, algumas vezes arriscando composições próprias, que em geral exaltam a cultura acadêmica e a herança histórica do país.

Como muitos grupos universitários ao redor do mundo, cada tuna tem sua própria hierarquia e rituais como trotes e testes para avaliar quem é digno de participar. As mais antigas persistem, recebendo novos participantes conforme os mais antigos vão se formando. Elas viajam pelo país para se apresentar, mantendo viva a história da universidade, reunindo segredos da tradição acadêmica e unindo seus membros através da música e do companheirismo.

Ao visitar Coimbra, vale a pena ver uma das tunas em ação, em festivais, bares ou outros eventos. A universidade é a alma da cidade de Coimbra, que é antiga e charmosa e reúne atrações surpreendentes, como a Biblioteca Joanina, o Jardim Botânico, o Penedo da Saudade e, é claro, o próprio campus da instituição.