Pin It

Dando continuidade às ações de promoção e divulgação do Brasil como destino turístico na China, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) promoveu três roadshows nas cidades de Pequim, Xangai e Chengdu, entre os dias 13 e 20 de maio. Ao todo, 150 operadores e agentes chineses receberam informações detalhadas de 10 representantes de organizações brasileiras, entre elas, aeroporto, operadores receptivos e secretarias de turismo.

De acordo com o assessor da Diretoria de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur, Alisson Andrade, representante do Instituto nos seminários, os encontros, promovidos paralelamente à feira de turismo ITB China, foi uma estratégia de dar prosseguimento às tratativas iniciadas pelo Instituto no ano passado. “Em 2018, estivemos em Pequim, Xangai, Cantão e Hong Kong. Este ano, além de Pequim e Xangai, abrangemos outras regiões geográficas do país e apresentamos os destinos turísticos brasileiros em Chengdu, um importante polo econômico do mercado chinês”, comentou.

Com o tema “Brazilian Experience”, os seminários apresentaram o Brasil como destino turístico, com foco nas cidades do Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu, e na Amazônia, destinos comercializados no mercado. Além das apresentações dos atrativos, houve a rodada de negócios e espaço dedicado para networking.

“Mostramos o que o Brasil oferece para o público chinês, reforçando os segmentos de Ecoturismo e Cultura, os principais de interesse desse turista. Nosso país, considerado pelo Fórum Econômico Mundial como o primeiro em natureza e oitavo em cultura, tem uma vantagem competitiva no mercado por oferecer o que o visitante chinês busca”, destacou Alisson Andrade.

Durante as rodadas de negócios, fornecedores brasileiros estiveram em contato com compradores chineses. No networking, além da degustação de itens da gastronomia brasileira, houve a troca de experiência e contatos entre os representantes das duas delegações. Além disso, ao comandar o seminário, a Embratur lançou ferramentas de promoção turística em mandarim. O Market Place, voltado para negócios (B2B), e o Visit Brasil Academy, plataforma de treinamento à distância para profissionais do setor, estavam disponíveis apenas em português, inglês e espanhol. Esta segunda ferramenta é dedica a profissionais estrangeiros, para que se eduquem e se tornem especialistas em Brasil, para que, com isso, ofereçam mais e melhores destinos brasileiros a seus clientes.

De acordo com o assessor da Embratur, a China é um mercado pungente e envia para o mundo mais de 150 milhões de turistas. “Até 2030, a previsão é de que um terço dos visitantes do mundo, isto é, 450 milhões de pessoas, sejam provenientes da China. Por isso, é fundamental este trabalho que a Embratur faz, que é de levar empresários brasileiros para entrar em contato e estabelecer negócios com os chineses”, disse.

Ainda no escopo de encontros na China, os assessores da Embratur Alisson Andrade e Diego Feijó estiveram reunidos com as principais companhias aéreas que ligam a China ao Brasil, como Air China, LATAM, United Airlines, American Airlines e Ethiopian Airlines. “O objetivo das reuniões foi para ter mais detalhes de como está a conectividade com o Brasil e como abrir novas rotas no país. A ideia foi para entendermos o que eles precisam para abrir novas conexões e integrar as ações do Instituto com as empresas e promover os destinos brasileiros na China”, explicou Diego Feijó. “Foram conversas produtivas, que devem gerar ações conjuntas nos próximos meses”, completou.