Novo mapa do turismo GLS do Brasil será redesenhado no final do ano com a inclusão de Bento Gonçalves como destino. A partir da próxima sexta-feira, Bento Gonçalves (RS) passa a ser a única cidade do Rio Grande do Sul credenciada pela Abrat-GLS (Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes) a receber o público GLS. Com isso, o município passa a integrar o novo mapa do turismo GLS do Brasil que será redesenhado no final deste ano, integrando o Programa Amo Viajar. O resultado será a inclusão de Bento Gonçalves na oferta de pacotes turísticos para este público.

Pioneira no Rio Grande do Sul, Bento sai na frente e mostra que tem interesse neste nicho. A iniciativa é do Bento Convention Bureau, que foi buscar o diretor de Treinamento da Associação, Heitor Ferreira Filho, para treinar um grupo de 36 profissionais que atuam em 18 entidades e empresas do trade na cidade (oito hoteis e pousadas, uma vinícola, quatro entidades, três agências de turismo, um restaurante e a Setur), com um intensivo de 8 horas realizado na última quarta e nesta quinta-feira no Centro de Eventos do Dall’Onder Grande Hotel. Este treinamento é o que qualifica um município a ser destino turístico para o público GLS.

No Brasil, somente as grandes cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Santa Catarina estão credenciadas, além de Flaiburgo (SC). Heitor explica que o público GLS está a procura de destinos menos óbvios que ofereçam riqueza histórica e cultural. “A autenticidade e o enoturismo, aliados a gastronomia, fazem de Bento Gonçalves uma excelente opção”, destaca. Ele esclarece que a única coisa que faltava era a capacitação dos prestadores de serviços. “O próximo passo será lançar novas opções de pacotes turísticos e esperar que o público GLS venha para cá”.

A divulgação de Bento como destino é feita basicamente através da internet, especialmente pelo site da Abrat-GLS, que identifica a cidade e relaciona as empresas que fizeram o treinamento. “Nos pacotes são indicados aqueles estabelecimentos que estão credenciados pela Associação”, enfatiza, destacando a importância da participação no treinamento. Caso haja procura, novos treinamentos poderão ser realizados de forma a ampliar a rede de atendimento qualificada para este público.

O treinamento


Todo treinamento é embasado na apresentação de vírus mentais que atrapalham a vida das pessoas, ampliando a distância entre os prestadores de serviços e o público GLS. Para dissecar o preconceito são utilizados como ferramenta didática anti-vírus comportamentais. Heitor explica que todas as discussões partem de dinâmicas de grupos e de situações do cotidiano vividas pelos próprios participantes do curso.

Exigente, crítico, delicado e com uma ampla rede de relacionamentos, o público GLS não admite erros. Além disso, gasta, em média, 30% a mais que heterossexuais em bens de consumo e viaja 4,6 vezes por ano. No Brasil, o mercado movimenta US$ 200 milhões ao ano e continua crescendo.