Um caso que pode gerar consequências para outros. Assim pode ser extraído um julgamento da juíza de Direito Eunice Bitencourt Haddad, da 24ª vara Cível do RJ, sobre o caso entre um condomínio e um de seus moradores. O motivo da discórdia foi o fato do condômino alugar seu apartamento pelo site Airbnb para fins comerciais.

Na sentença, a juíza aceitou argumentos de que a rotatividade de pessoas no apartamento incomodava os outros moradores, assim como gerava perturbação ao sossego, diante do entre e sai.

O proprietário do imóvel alegou que o Airbnb é uma empresa séria e que a locação dos imóveis não é como se fosse em um quarto de hotel, já que o anúncio é por temporada e em ambientes seguros e qualificados.

A juíza, entretanto, discordou dessa hipótese, dizendo que a cobertura pode ser alugada conforme o dia de entrada e saída de cada locatário. Ela concluiu o pensamento com a afirmação de que houve violação de cláusula condominial, pois o edifício é destinado exclusivamente ao uso residencial.