Pin It

Luis Villarino é um dos principais nomes da vida social e artística carioca. Nascido e criado em Laranjeiras, se mudou para Ipanema com 18 anos de idade. A infância e a adolescência tiveram como segunda casa a vivência com a Casa Villarino, fundada em 1953 pelo seu avô espanhol Luis Villarino, quando ele tinha apenas um ano de idade. "Aquele ambiente fez com que eu convivesse com nomes como Maysa Matarazzo, Ângela Maria, Elizeth Cardoso, Danuza e Nara Leão, lá pelos anos 60. Foi justamente isso que me conduziu ao mundo das artes", explica ele. A Casa Villarino existe até os dias atuais e continua a ser considerada o berço da Bossa Nova. "Foi, por exemplo, em uma de suas mesas, em 1956, Tom Jobim foi apresentado a Vinícius de Moraes por Lúcio Rangel para musicar a peça 'Orfeu da Conceição'. Também foi lá onde se ouviu pela primeira vez o termo Bossa Nova, que acabou dando nome ao novo estilo musical que revolucionou e marcou uma era", completa.

Sempre envolvido em produções culturais, Villarino gosta de aproveitar as coisas boas da vida. Uma de suas grandes paixões é viajar: Villa, como é carinhosamente chamado por amigos, morou em Paris nos anos 80, onde viveu por sete anos, e em seguida morou em Milão, por dois anos. Atualmente, vive entre Brasil e Portugal.

Workaholic, o economista comanda o Portal Revista do Villa (revistadovilla.com.br), no ar desde 2011. "Tive a ideia de criar um site baseado em minhas viagens e no gosto que tenho pela cultura. Diariamente, reúno ali com a minha equipe o melhor do entretenimento, gastronomia e do turismo", diz Villarino, que conta também com colunistas e pretende que o site vá muito além do eixo Rio-São Paulo. "Vou lançar uma revista bimestral, em abril de 2020, promovendo um intenso intercâmbio entre Brasil e Portugal. Considero Portugal uma das cidades mais belas do mundo e quero trazer o melhor da cultura portuguesa para o Brasil, e vice-versa. E nossa primeira capa vai contar com a belíssima Maria Fernanda Cândido", revela Villarino, amigo de longa data da atriz.  

Outro projeto que fortalece os laços com a terra de sua mãe é o lançamento de um espumante com a sua assinatura em parceria com os donos da Vinícola Barão, seus amigos portugueses, em janeiro de 2020. A produção do espumante Luis Villarino é toda feita em Canelas, no Rio Grande do Sul, com matéria-prima nacional e técnica apurada europeia de mais de 200 anos. "O espumante Barão - Luis Villarino é o primeiro produto de uma linha que pretendo desenvolver para ser vendida no atacado e varejo", adianta o empresário, que lança o espumante em janeiro no Fasano, no Rio, e na Adega Vinhos & Momentos, em São Paulo.

Inquieto, Villa está animado com o seu primeiro livro, que será lançado em março do ano que vem. A obra, ainda sem nome, revela lugares que marcaram época no Rio de Janeiro, nos anos 60, incluindo, claro, a Casa Villarino.