0
0
0
s2smodern

Especialistas do setor elogiam adoção de etiquetas RFID de rastreamento de bagagem em tempo real e classificam a iniciativa como inovadora. A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) assumiu recentemente um plano global para padronizar a tecnologia em todas as as viagens. Em sua assembleia anual, a IATA disse que o processo de desenvolvimento de uma solução global de RFID deve levar cerca de um ano, e nesse período, ela deve se alinhar a parceiros, principalmente aeroportos, para amadurecer a visão industrial da implementação da etiqueta para ser uma realidade em todas as companhias aéreas a partir de 2020.

 

Foto: Divulgação/Delta

 

O RFID Journal afirmou que a Delta Air Lines é a primeira companhia aérea a mostrar que a tecnologia RFID pode ser uma solução econômica. No aplicativo da Delta, ao verificar as bagagens, o passageiro recebe uma notificação quando as malas estiverem no avião, o que colabora com o conforto e a tranquilidade dos viajantes. Além disso, a Delta pode rastrear a bagagem rapidamente em qualquer lugar do sistema e identificar se alguma bagagem foi colocada no voo errado. 

A Delta introduziu o uso de etiquetas RFID nas bagagens em 2016, e depois disso, a IATA compartilhou os resultados de um estudo que concluiu que a adoção global de uma solução RFID poderia reduzir o número de bagagens extraviadas em até 25%.

 

Agências de Viagens

Geração millenium é responsável por quase metade das compras de passagens aéreas no Brasil

Segundo levantamento da agência ViajaNet, jovens entre 18 e 34 anos respondem por 45,34% do comércio de bilhetes aéreos e já são maioria no País

Segundo pesquisa exclusiva da agência virtual ViajaNet, a geração millenium já responde por 45,34% do total de vendas de passagens aéreas no Brasil. A participação dos consumidores entre 18 e 34 anos representa o público que mais compra bilhetes aéreos no País.

De acordo com o levantamento, que avaliou o perfil de compra de janeiro a agosto deste ano, os consumidores entre 35 e 54 anos representam 38,94% das vendas de passagens aéreas. E a menor participação ficou na população da terceira, com consumidores acima de 55 anos, com 15,72% dos bilhetes comprados.

vendas de passagens aéreas por faixa etária de consumidores