Informações serão coletadas entre o dia primeiro e 10 de junho e ajudarão a consolidar um calendário com eventos do segmento e contribuirão para o desenvolvimento de políticas públicas

Amanda Costa (MTur)

O Ministério do Turismo inicia um mapeamento dos principais programas, projetos, ações e eventos realizados no país relacionados ao Turismo Gastronômico. A ideia é construir um calendário com as iniciativas e atividades do segmento, que podem servir tanto para torná-las mais conhecidas aos visitantes quanto para o desenvolvimento de políticas públicas de apoio a essas agendas.

A pesquisa estará disponível até o próximo dia 10 de junho e pode ser preenchida, de forma rápida e online, no endereço https://turismogastronomico.tur.br/. Podem participar órgãos públicos da esfera federal, estadual e municipal, além de instituições de fomento, como o Sistema S, e outras organizações que desenvolvam iniciativas relacionadas ao segmento.

Clique AQUI e participe.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, convida organizações públicas e privadas a inscreverem suas ações e destaca que a iniciativa é mais um esforço do governo federal para o fortalecimento do segmento, que tem cada vez mais motivado viagens em todo o mundo.

“Somos um país com sabores e temperos únicos. Temos um potencial enorme para nos destacar no segmento de turismo gastronômico, inclusive, no cenário internacional no pós-pandemia. É para isso que temos trabalhado e contamos com o apoio de todos para construirmos esse importante instrumento, que é o calendário nacional. Tenho certeza de que será um diferencial importante na busca por uma maior valorização das experiências autênticas no segmento e interação dos visitantes com a cultura local”, pontuou Machado Neto.

Na plataforma online podem ser cadastradas iniciativas como eventos, festivais, projetos de qualificação profissional, roteiros e rotas, entre outras iniciativas diretamente ligadas ao Turismo Gastronômico.

O Ministério do Turismo tem priorizado uma série de atividades estruturantes no âmbito do Programa Nacional de Turismo Gastronômico, como aponta o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França. “Temos o objetivo de desenvolver o turismo gastronômico por meio de um conjunto de ações de estruturação, valorização e de promoção de iniciativas locais, e, assim, efetivar a vocação do Brasil neste segmento”, aponta.

Dados da Organização Mundial do Turismo (OMT), apontam que a gastronomia é o terceiro maior impulsionador de viagens no mundo. No Brasil, a gastronomia movimenta cerca de R$ 250 bilhões por ano, segundo cálculos da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). E é um dos itens mais bem avaliados por estrangeiros em visita ao Brasil; 8 em cada 10 turistas internacionais aprovaram a gastronomia brasileira em 2019, segundo estudo realizado pelo Ministério do Turismo com visitantes internacionais (Demanda Turística Internacional).

O Brasil já tem quatro cidades reconhecidas internacionalmente pela inovação na gastronomia: Belo Horizonte/MG, Florianópolis/SC, Belém/PA e Paraty/RJ. Elas integram a Rede de Cidades Criativas da Unesco que, inclusive, está com inscrições abertas. No Brasil, outras seis cidades integram a rede nas seguintes áreas: design, artesanato e artes populares, música e cinema. Veja AQUI como se inscrever.

INICIATIVAS - Na última semana, o Ministério do Turismo promoveu a oficina “Desafios e Oportunidades para o Turismo Gastronômico no Brasil”. O encontro, que ocorreu de forma online, reuniu especialistas em turismo e gastronomia de todo o país para identificar estratégicas que ajudem a estruturar e promover o turismo gastronômico. Entre as propostas levantadas na oficina estão a criação de uma rede colaborativa de especialistas no segmento, a realização de ações de divulgação dos atrativos e destinos gastronômicos e de valorização da riqueza da gastronomia brasileira, além de iniciativas de qualificação de toda a cadeia produtiva.

A realização da oficina foi fruto de um acordo celebrado em 2020 pelo Ministério do Turismo e IFB para o desenvolvimento do projeto “Prospectivas para o Turismo Gastronômico no Brasil”, no âmbito do Programa Nacional de Turismo Gastronômico. Portanto, é uma das primeiras etapas do projeto, cujo objetivo é fomentar a pesquisa em turismo gastronômico para produção de conhecimento, identificação de tendências e sistematização de informações.

A parceria também busca analisar o panorama atual do turismo gastronômico no Brasil, identificar prioridades e definir diretrizes para o Plano de Ação do Programa Nacional de Turismo Gastronômico, que deve contar também com planos regionais. E, com isso, estruturar e promover o segmento no Brasil, valorizando a vocação do país como destino de excelência em gastronomia.

O Ministério do Turismo também selecionou, em abril, um profissional especializado no setor turístico, Richard Alves, para apoiar a Pasta na formulação de ações e estratégias voltadas ao desenvolvimento do turismo gastronômico no país. Entre as ações desenvolvidas está, justamente, o mapeamento que começará a ser realizado dos principais eventos gastronômicos nacionais, roteiros e produtos turísticos ligados à gastronomia.

Siga-nos