0
0
0
s2smodern

A participação da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) na ITB China começou. O coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo do Instituto, Alisson Andrade, fez uma apresentação sobre o tema “Conectando Destinos aos MillennialsChineses”. O painel de discussão, realizado nesta quarta-feira (16), na feira, contou com a presença de representantes do trade chinês.

O estudo apresentado pelo representante da Embratur mostra que 69% das chegadas de chineses ao Brasil têm como motivo Negócios, e que mais de 65% que visitam o País têm idade entre 25 e 40 anos. A China subiu quatro posições no ranking internacional de chegadas ao Brasil, quando comparado 2016 e 2017. 

A pesquisa mostra, ainda, que dos 23% que buscam o segmento de Lazer, 65% se interessa por Ecoturismo e Turismo de Aventura, e 15%, por Cultura. Aproximadamente 40% viajam sozinhos e 10% com amigos. Os destinos como Rio de Janeiro, São Paulo, Foz do Iguaçu e Salvador são os mais visitados, tanto a lazer quanto a negócios.

De acordo com o representante da Embratur, o Brasil possui um grande potencial a ser desenvolvido nesse mercado e nicho. O país já conquistou o ADS (status de destino aprovado) pelo governo chinês e conta com mais de 72 agências de viagens credenciadas para atender aos turistas.

 

Agências de Viagens

Geração millenium é responsável por quase metade das compras de passagens aéreas no Brasil

Segundo levantamento da agência ViajaNet, jovens entre 18 e 34 anos respondem por 45,34% do comércio de bilhetes aéreos e já são maioria no País

Segundo pesquisa exclusiva da agência virtual ViajaNet, a geração millenium já responde por 45,34% do total de vendas de passagens aéreas no Brasil. A participação dos consumidores entre 18 e 34 anos representa o público que mais compra bilhetes aéreos no País.

De acordo com o levantamento, que avaliou o perfil de compra de janeiro a agosto deste ano, os consumidores entre 35 e 54 anos representam 38,94% das vendas de passagens aéreas. E a menor participação ficou na população da terceira, com consumidores acima de 55 anos, com 15,72% dos bilhetes comprados.

vendas de passagens aéreas por faixa etária de consumidores