Por: Daniele Madureira

A companhia aérea Gol e o marketplace Mercado Livre anunciaram nesta terça-feira (19) uma parceria de 10 anos para a entrega de encomendas em todo o país, em especial para atender as regiões Norte e Nordeste.

O acordo marca a estreia da Gol na operação de aviões cargueiros por meio de sua unidade de logística, a GolLog. O negócio contempla 6 aeronaves da Gol modelo Boeing 737-800.

Com a parceria, o Mercado Livre, líder em comércio eletrônico no Brasil, pretende reduzir em até 80% o tempo de entrega para rotas mais longas, como Norte e Nordeste, e em até 50% para o Centro-Oeste. Segundo a empresa, a entrega no Sul e Sudeste, regiões de maior demanda, também ficará mais ágil.

"Muita gente pode não querer comprar pela internet se o tempo de entrega é muito longo, prefere ir a uma loja física. Com essa parceria, vamos aumentar a fidelização dos clientes e, consequentemente, as vendas", afirmou Fernando Yunes, vice-presidente sênior do Mercado Livre no Brasil, durante coletiva de imprensa que anunciou o acordo.

Mudança no prazo de entregas:

Cidade - Prazo atual - Novo prazo
Manaus (AM) - 8-9 dias - 1-2 dias
Belém (PA) - 4-6 dias - 1-2 dias
Fortaleza (CE), São Luís (MA), Teresina (PI), Recife (PE), Natal (RN), João Pessoa (PB), Salvador (BA) - 3-4 dias - 1-2 dias
Brasília (DF), Goiânia (GO) e Cuiabá (MT) - 2 dias - 1 dia

CAPACIDADE SALTA DE 10 MILHÕES PARA 40 MILHÕES DE PACOTES AO ANO

O Mercado Livre já trabalhava com 3 aeronaves exclusivas, fruto de acordos com a Sideral e a Azul Cargo, que continuam vigorando. Agora, com os 6 aviões da Gol, vai quadruplicar sua capacidade de entrega de encomendas no Brasil, de 10 milhões de pacotes ao ano para 40 milhões de pacotes.

Os voos vão sair de São Paulo e um terço da frota deve atender as regiões Sudeste e Sul. O Mercado Livre tem 12 CDs (centros de distribuição) no Brasil dedicados à operação fullfilment, em que a empresa se responsabiliza por toda a movimentação do produto. A maioria deles fica na Grande São Paulo:
3 em Cajamar (SP)
2 em Barueri (SP)
São Paulo (SP)
Franco da Rocha (SP)
Louveira (SP)
Araçariguama (SP)
Extrema (MG)
Governador Celso Ramos (SC)
Lauro de Freitas (BA)

Já para a Gol a iniciativa representa um avanço significativo na receita: só este ano, a parceria vai render R$ 100 milhões para a GolLog, serviço de transporte de cargas e encomendas da companhia. "A expectativa é que, dentro de cinco anos, o acordo represente um incremento de R$ 1 bilhão na receita", afirmou Paulo Kakinoff, presidente da Gol Linhas Aéreas, durante a coletiva. Segundo ele, as empresas estavam em negociação há dez meses.

Das 6 aeronaves que integram o acordo, 3 entram em operação no segundo semestre deste ano. Outras 3 começam a voar com exclusividade para o Mercado Livre até o terceiro trimestre de 2023. A parceria considera ainda a possibilidade de adicionar outras 6 aeronaves de carga até 2025.

De acordo com Kakinoff, a iniciativa deve gerar economias de R$ 25 milhões este ano e de R$ 75 milhões em 2023. "São aeronaves que estavam ociosas, uma vez que ainda não retomamos o mesmo ritmo de voos do pré-pandemia, algo que está previsto para dezembro deste ano", afirmou. O acordo evita o custo de devolução dessas aeronaves dentro do contrato de leasing.

Para atender a parceria com o Mercado Livre, a Gol vai contratar diretamente 100 trabalhadores e gerar mais 90 vagas indiretas. ​Os aviões destinados à operação passarão por um processo de conversão para cargueiros, sendo designados como 737-800 BCF (Boeing Converted Freighter), com capacidade para o transporte de 24 toneladas. Estarão identificados com a cor e a logomarca do Mercado Livre.

PARCERIA ENTRE AS EMPRESAS ESTÁ RESTRITA AO BRASIL, POR ENQUANTO

Até o momento, segundo Kakinoff, a parceria das duas companhias vai ficar restrita ao Brasil. Argentino, o Mercado Livre está presente em 18 países da América Latina, região em que a Gol também opera.

A aérea vem retomando os voos na região, depois de paralisar rotas por conta da pandemia, e hoje viaja para Uruguai, Argentina, Paraguai, Suriname, México, República Dominicana e, em maio, também para a Bolívia. A expectativa é retomar ainda este ano voos para o Chile, Peru e Equador.

Em comunicado ao mercado, a Gol informou que está se estruturando para atender "o crescente mercado brasileiro de ecommerce, que responde atualmente por mais de R$ 180 bilhões em receitas anuais, com um gasto anual de mais de R$ 12 bilhões em serviços logísticos".

De acordo com a empresa, "a destinação das 6 aeronaves exclusivas para operação de cargas inaugura um novo capítulo de eficiência na redução dos custos unitários da Gol, uma vez que, combinada com a aceleração na transformação da frota para 737 MAX, permitirá maior diluição dos custos fixos, redução da ociosidade existente e incremento de novas oportunidades de geração receitas auxiliares."

A Gol deve encerrar o ano com 136 aeronaves, das quais 44 do modelo Boeing 737-MAX 8 e 92 em Boeing 737-NG.

Siga-nos