Pin It

Nesta terça-feira (2), durante agenda de compromissos da WTM Latin America 2019, em São Paulo, o presidente interino da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Leônidas Oliveira, se reuniu com a Liz Chuecas, coordenadora do Mercado Latino Americano da PromPeru, órgão de promoção internacional peruano, para ampliar o diálogo para incrementar o fluxo turístico entre os países vizinhos, além de encontrar alternativas conjuntas de promoção dos dois países para a abertura de grandes mercados emissores internacionais, como a China.   

Entre os desafios, foi consenso no encontro que a conectividade aérea é um gargalo que precisa ser enfrentado pelas autoridades dos dois países. 

Segundo Liz Chuecas, apenas duas empresas aéreas realizam a ligação entre os dois países, o que torna o Brasil um destino caro para o viajante peruano. 

O Brasil tem avançado, desde o início do ano, em ações para estimular a concorrência no setor aéreo, aumentar o número de rotas para o Brasil e reduzir o Custo Brasil, um dos gargalos que travam a entrada de mais turistas estrangeiros no país.

No mês passado, a Câmara dos Deputados aprovou a abertura total da entrada de capital estrangeiro nas empresas aéreas nacionais, medida que tende a aumentar  número de empresas aéreas operando no Brasil. Além disso, o Brasil entrou definitivamente nas rotas das empresas aéreas low cost (baixo custo) que passaram a operar mais frequências internacionais a preços mais acessíveis.