0
0
0
s2smodern

Organizar uma viagem por conta própria não é tarefa fácil, ainda mais quando se é "marinheiro de primeiro viagem" naquele destino. É preciso se atentar a detalhes que vão desde a compra da passagem até a localização do hotel, isso sem falar no roteiro e programação da viagem, que inclui destinos turísticos, restaurantes, parques, teatros e tudo mais.

Confira algumas dicas para que nada saia errado durante o planejamento e o turista feche sua viagem online sem cair em ciladas:

- Destino e localização do hotel
Ouvir a opinião de alguma agência ou profissional de turismo é algo que sempre deve ser levado em consideração. Além disso, para ajudar no planejamento do roteiro, busque por informações confiáveis sobre os pontos turísticos e as atividades que podem ser realizadas no destino. Ferramentas como Google Maps e Street View podem ajudar a verificar a localização de hotéis, pousadas ou casas alugadas e também a fazer um tour virtual pelas redondezas para explorar ponto turísticos ou gastronômicos. 

Lembre-se de ter em mãos documentos como a confirmação de reserva do hotel, a nota de débito ou recibo da fatura do hotel, as passagens com assento marcado, além do roteiro e programação da viagem. Confira as informações do contrato e entre em contato com o hotel para se certificar de que está tudo certo com a reserva.

- Empresas confiáveis
Mesmo quando fechar uma viagem online, verifique se agência que está prestando o serviço está cadastrada no Cadastrur e se há alguma reclamação ou denúncia da mesma no Procon ou junto às entidades de prestadores de serviços turísticos. Vale lembrar que apenas as empresas cadastradas no Ministério do Turismo estão aptas a funcionar neste segmento.

Se a hospedagem e/ou o transporte forem contratados por meio da agência, ela também é responsável por qualquer problema que ocorra durante a viagem, de acordo com o Artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor. 

- Termos e Condições
Leia atentamente os termos e condições de viagens de cada hospedagem. De acordo com o Artigo 23, Inciso IV, da Lei Geral do Turismo, a diária de hospedagem deve durar 24 horas, porém cada empresa tem uma política para o horário de check-in e check-out, além da alimentação e uso dos espaços comuns e serviços.

- Pesquisa
Essa dica pode parecer um pouco óbvia, porém é extremamente importante. Pesquise e compare preços de pacotes, transporte e hospedagem com antecedência. Quando encontrar o pacote ideal com o melhor preço, não espere para contratá-lo, pois você poderá não encontrar a mesma oferta no dia seguinte. Outra possibilidade é procurar plataformas e tecnologias que oferecem este tipo de busca de orçamentos para você. É uma facilidade a mais.

Além disso, informe-se sobre atraso e cancelamento de voo, exigências relacionadas ao visto, ingressos para passeios turísticos como parques de diversão, guias de turismo e vacinas obrigatórias para viagens a locais com incidência de doenças endêmicas e contagiosas.


- Seguro Viagem
Imagine chegar de avião ao seu destino e descobrir que sua bagagem foi extraviada ou ficar doente e precisar de atendimento médico fora da sua cidade ou país. O seguro viagem é sua proteção contra situações desagradáveis como essas e muitas outras, incluindo atraso e/ou cancelamento de voo. E ele pode ser oferecido pelas próprias agências ou mesmo pelas diferentes corretoras de seguro online.

Agências de Viagens

Geração millenium é responsável por quase metade das compras de passagens aéreas no Brasil

Segundo levantamento da agência ViajaNet, jovens entre 18 e 34 anos respondem por 45,34% do comércio de bilhetes aéreos e já são maioria no País

Segundo pesquisa exclusiva da agência virtual ViajaNet, a geração millenium já responde por 45,34% do total de vendas de passagens aéreas no Brasil. A participação dos consumidores entre 18 e 34 anos representa o público que mais compra bilhetes aéreos no País.

De acordo com o levantamento, que avaliou o perfil de compra de janeiro a agosto deste ano, os consumidores entre 35 e 54 anos representam 38,94% das vendas de passagens aéreas. E a menor participação ficou na população da terceira, com consumidores acima de 55 anos, com 15,72% dos bilhetes comprados.

vendas de passagens aéreas por faixa etária de consumidores