Entre os dias 11 e 28, o município do litoral norte paulista terá intensa programação sobre birdwatching

Com uma área de 27.025 hectares (ou 270 quilômetros quadrados), Ilhabela tem uma das maiores reservas de Mata Atlântica conservada do mundo. A fauna do arquipélago do litoral paulista abriga uma rica e farta variedade de pássaros. Não por acaso, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo investe na implementação do Birdwatching como nova modalidade para receber visitantes de diferentes partes do Brasil e do mundo. Em outubro, a cidade conhecida como capital da vela, vai se transformar na capital da observação de aves.

A programação do Festival de Aves de Ilhabela, entre os dias 11 e 28, será intensa e terá mais de 50 atividades, entre palestras, minicursos, fam-trips, cinema, oficinas e atividades infantis. “Nosso trabalho visa ampliar as opções de turismo no município e o Birdwatching traz um turista em sintonia com nossa proposta de ´Vida Natural’. Esse grande evento é uma espécie de pontapé inicial para a criação de estrutura específica para os observadores de pássaros, que inclui a construção de seis torres no Parque Estadual de Ilhabela, além de outras iniciativas que fazem parte do convênio assinado entre a Prefeitura e a Fundação Florestal”, explica Bianca Colepicolo, secretária de Desenvolvimento Econômico e do Turismo.

A expectativa da prefeitura de Ilhabela é que a implementação da estrutura para receber os turistas de Birdwatching esteja completa para a temporada de verão de 2020. A meta é que os visitantes tenham a oportunidade de observar, fotografar e catalogar espécies como o Tiê-sangue, símbolo da Mata Atlântica, Tangará, Papagaio-moleiro - eleita a ave símbolo da ilha, a Coruja-preta, ou a Jacutinga. “O Festival faz parte dessa preparação da cidade para oferecer esse novo produto de turismo. Além das atividades para o público em outubro, também daremos atenção especial para o desenvolvimento do trade local “, explica Bianca.

A secretária dimensiona o potencial da atividade de observação de pássaros.

“Nos Estados Unidos, mais de 45 milhões de pessoas observam aves como hobby, segundo a Pesquisa Nacional Relacionada à Vida Selvagem. A atividade traz um retorno para economia na casa de 80 bilhões de dólares. Enquanto isso, no Brasil, promovemos muito mal nossa rica biodiversidade. O potencial econômico de atividades, serviços e produtos que mantém a floresta em pé são gigantescos. Em 2018, nossos parques nacionais tiveram 12 milhões de visitantes. Mesmo sem grande promoção, famílias em todo país têm procurado conhecer mais nossos parques, ano a ano", informa Bianca, lembrando que, segundo o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO), mais de 18% de todas as aves do mundo estão no Brasil, com 1.919 espécies encontradas no país, destas 321 habitam o arquipélago de Ilhabela.

Entre os destaques da programação do Festival aos sábados e domingos, nas manhãs haverá passarinhadas, à tarde palestras e minicursos que se estendem até a noite, que termina com cinema ligado a observação e conservação. Entre os temas abordados por especialistas da cidade e convidados, estão ‘A Economia do Birdwatching’, ‘Observação e comunidade’, ‘Aves de Ilhabela’, ‘Aves do meu quintal’, ‘Jardins de beija-flores’, ‘Fotografia e tratamento de imagens’, entre outros. Durante todo o período do evento haverá exposições fotográficas dos pássaros de Ilhabela pela cidade.

Tour Histórico e outras ações em outubro

Ilhabela investe em mais modalidades a fim de ampliar as opções de turismo. Para isso, foca em capacitação. Neste domingo (6), moradores, visitantes e representantes do Comtur participarão do Tour Histórico Cultural na Fazenda Engenho D'água. Haverá ainda um passeio pela Fazenda Engenho da Toca, no próximo final de semana. “Esta ação é fruto de um trabalho entre as Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Turismo e de Cultura, ETEC e Associação de Guias e Monitores. Começamos pelo Centro Histórico da Vila, no último final de semana de setembro”, explicou Bianca.

Como estão em fase de teste, os tours serão gratuitos no mês de outubro. A partir de novembro os passeios entram em atividade para comercialização como novo produto turístico de Ilhabela. “Teremos ainda o Festival Sustentah, nos dias 12 e 13, e a semana Lixo zero, de 18 a 27”, lembra a secretária, citando as ações da prefeitura ligadas ao ecoturismo. Para novembro, o foco é o turismo cultural, com Bourbon Festival Ilhabela, com Jazz, Blues e Folk nas escolas e nas ruas todos os finais de semana.

Siga-nos

 

Mais Lidos