Pin It

A Amazônia brasileira foi eleita uma das 10 melhores regiões do mundo para se visitar em 2020, segundo lista divulgada nesta semana pela gigante editora de guias de viagem Lonely Planet. As razões são muitas, porém principalmente por ser “um lugar antigo, com vida selvagem policromática e caótica e flora proeminente, praticamente alucinógeno”.

O destino tem cerca de 3,3 milhões de km² de selva densa, repleta de biodiversidade, que é lar dos mais raros animais e plantas do planeta, bem como de comunidades ribeirinhas e indígenas. E está em absoluta evidência no momento, principalmente devido à devastação sem limites que tem sofrido.

De acordo com a Lonely Planet, viagens pensadas e bem planejadas para lá apoiarão os esforços do turismo sustentável, ao mesmo tempo em que beneficiarão a economia local e destacarão a necessidade de preservação.

Quem quiser visitar a região pode ficar no Juma Amazon Lodge, localizado dentro da Floresta Amazônica, a três horas de Manaus, e que proporciona aos hóspedes a experiência de conhecer de perto a mata com conforto, sustentabilidade, passeios ricamente estruturados e culinária regional de excelência.

Construídos sobre palafitas, a mais de 15 metros de altura, os 19 bangalôs – que oferecem vistas incríveis, varanda e rede - e os espaços de convivência ficam em uma área remota e preservada da Amazônia, às margens do rio Juma.

Um dos grandes destaques enriquecedores desta experiência é o restaurante especializado na culinária local, de forte influência indígena. Dos rios regionais, saem peixes famosos como pirarucu, tambaqui e surubim.

Para conhecer melhor a mata, os visitantes circulam com guias especializados em diferentes passeios. Já para relaxar, vale passar a tarde na piscina (com água do rio), na choupana ou no redário. Como não poderia deixar de ser, o Juma Amazon Lodge tem diretrizes de preocupação ambiental, faz uso de energia solar e conta com programa de reciclagem.