Mais de 37 mil pessoas se encontraram na Cidade das Artes para debater criatividade, tecnologia e cultura

Por: Pedro Sobreiro

O maior encontro de criatividade da América Latina bateu recordes em sua edição de 2022. Sediado na Cidade das Artes, no coração da Barra da Tijuca, o Rio2C proporcionou seis dias de palestras, debates, workshops e muito network para quem compareceu ao evento, que contou com mais de 37 mil pessoas frequentando e interagindo com os mais diversos conteúdos disponibilizados.

O encontro, que não acontecia desde 2019, por conta da pandemia, reabriu o calendário dos grandes eventos na Barra da Tijuca, que se mostrou pronta pares receber novamente o público de várias partes do Brasil e do mundo.

 

"Nosso grande diferencial residiu no presencial, na potência dos encontros. A experiência de pausar a rotina diária para mergulhar num universo de conteúdos e discussões inspiradoras, lado a lado com algumas das mentes mais interessantes da indústria, é inigualável e irreplicável digitalmente. Num momento de grande aceleração digital, a decisão de fazer esta edição 100% presencial foi bem ousada, mas estou convencido de que foi muito acertada. A felicidade estampada no rosto de quem esteve por aqui me dá essa certeza", comemora Rafael Lazarini, criador e CEO do evento.

E o grande mérito do Rio2C foi mais uma vez misturar com excelência cultura e entretenimento com a tecnologia e os negócios.

Um dos painéis mais interessantes de todo o evento foi “Antes do Brasil da Coroa, Existe o Brasil do Cocar", que contou com a líder indígena Célia Xakriabá, o cantor indígena MapuHuni Kuin e o DJ Alok para falar sobre um projeto impulsionado pelo DJ para preservar a cultura indígena de 12 tribos brasileiras cujas tradições eram mantidas apenas de forma oral. Ou seja, conforme os anciãos faleciam, muito da própria cultura ia embora com eles.

 

No painel, Célia trouxe questões fundamentais da preservação do povo brasileiro, que pede por ajuda urgente. Já Mapu e Alok debateram mais sobre a musicalidade das línguas nativas e sobre um projeto interessantíssimo de mixagem de canções tradicionais, como a vista no evento Global Citizen Live de 2021, no qual a apresentação de Mapu com Alok teve mais visualizações do que os shows de outras celebridades, como a da queridinha do momento, Billie Eilish.

Da mesma forma, Mano Brown e Luísa Sonza, em painéis distintos, falaram sobre a forma como eles se aproximam dos jovens a sua própria maneira. Brown falou sobre seu podcast, enquanto Sonza trouxe mais de como o mercado pode usar o cenário pop musical para entender melhor os diferentes tipos de público.

Mas nem só de painéis se faz o evento, já que o Rio2C é uma grande possibilidade de apresentar projetos e inovações para grandes empresas e seus representantes. Dezenas de jovens com um sonho e um projeto nas mãos puderam debater com executivos e apresentar suas ideias.

Uma das empresas que pôde ter mais desse contato com as inovações foi a Oliveira Trust, plataforma digital de soluções para o setor fiduciário, que também patrocinou o evento.

"A gente tem investido bastante nessa parte de eventos. Aqui no Rio de Janeiro a gente já fez três eventos, sendo dois muito voltados para a parte de tecnologia: o Rio2C e o HackTudo, que também foi aqui na Cidade das Artes. Além desses, a gente fez o Rio Sobre Rodas, que é voltado pra parte de veículos antigos ali no Casa Shopping. Então, a gente está muito envolvido com a Barra da Tijuca e com o Rio. A gente tenta trazer o que der para ajudar a cidade, investindo também nesses eventos culturais, tendo como foco essa parte que a gente tem interesse, que é o setor tecnológico", disse o Diretor da empresa, Alexandre Lodi.

 

Ele também explicou que a região da Barra é muito interessante para esse tipo de projetos, até mesmo por já ter uma grande estrutura.

 

A gente avalia os eventos que a gente vai participar e é óbvio que a gente leva em conta a localização. Por exemplo, a Cidade das Artes é um projeto gigantesco e tem que ser usado. É uma área que teve tanto investimento que qualquer retorno que a gente possa ajudar a ter, trazendo eventos para cá, faz muito sentido para nós. Na hora de escolher, a gente avalia os eventos que vai participar. Eles têm que ser voltados pra questões de cunho social, que tenham essa pegada tecnológica ou cultural, e se forem em locais que possam ser beneficiados, como o Rio, a Barra da Tijuca, melhor ainda", concluiu.

Os games e as plataformas de streaming também brilharam, trazendo para um público mais adulto a proximidade com plataformas de transmissão como a Twitch e o YouTube, que são tendência entre o público jovem e já conquistam índices de audiência expressivos, como o canal do Casimiro Miguel,  que fechou contrato para transmitir oficialmente jogos do Campeonato Carioca e do Campeonato Brasileiro.

Falando em transmissões, o painel “Tamo Junto Pela Copa” trouxe Galvão Bueno e a narradora Renata Silveira para falar sobre a transmissão da Globo da Copa do Mundo FIFA 2022, que terá a primeira narradora mulher na equipe, a própria Silveira, e trará uma trasmissão alternativa pelo Globoplaycomandada por Tiago Leifert. Esse anúncio de crossmedia foi um dos destaques do evento em um dos painéis mais cheios.

Por fim, essa grande celebração à criatividade e inovação contou ainda com apresentações de abertura e encerramento comandadas pela Orquestra Sinfônica da Petrobras, que emocionou o público com sua música e mensagens de preservação. Tudo isso sem causar impacto no trânsito da região por conta da proximidade dos transportes coletivos, e gerando muitos empregos temporários para os moradores do entorno.

O sucesso do Rio2C é um sinal de que a Barra está pronta para as grandes eventos e que os empresários da região querem investirem projetos que sejam benéficos para suas marcas e para a própria cidade.

Siga-nos