Empresa também cria guia de orientação de reabertura dos seus hotéis

Aos poucos, municípios e estados começam a organizar a reabertura das atividades econômicas locais, sob novas regras e protocolos de saúde, em função da pandemia do coronavírus.

Para subsidiar seus associados na elaboração de um plano de contingência para a reabertura do hotel, a Associação Roteiros de Charme criou um Guia de Orientação para seus integrantes, alinhado às mais recentes recomendações de órgãos reguladores e administração pública.

“Preparamos este guia atentos à diversidade das regulamentações existentes e à realidade econômica, social e cultural deste país mega diverso, cientes de que o principal remédio para se prevenir da Covid-19 nos hotéis é a correta higienização dos ambientes, além, é claro, do distanciamento, distribuição de álcool gel em locais estratégicos, uso de máscaras etc”, comenta Helenio Waddington, presidente da Associação Roteiros de Charme.

Para a proteção de colaboradores, o guia recomenda, além da adoção de EPIs obrigatórios, o treinamento adequado para atender aos hóspedes que apresentem sintomas e escalonamento das equipes de trabalho para evitar aglomerações, entre outras medidas.

O diretor de Meio Ambiente da Roteiros de Charme, Luiz Franca, lembra que a sustentabilidade, presente nos ideais da Roteiros de Charme desde sua fundação, ganha uma nova dimensão prioritária, a dimensão sanitária.

“A Sustentabilidade Sanitária aparece com urgência máxima neste momento, demandando ações emergenciais. Em seu desdobramento, a sustentabilidade sanitária irá requerer ações mais eficazes na contenção da mudança climática e destruição da biodiversidade. Pesquisadores têm investigado como os desequilíbrios dos sistemas naturais têm provocado o aparecimento de novas doenças através da maior interação de animais silvestres com rebanhos de animais domesticados e o próprio homem”, avalia.

Pensando nestas diretrizes de uma nova sustentabilidade, a entidade também firmou uma parceria com a empresa Terpenoil, produzidos a partir de matérias- primas naturais de fontes renováveis, com poder de limpeza elevado e mínimos impactos ambientais.

“Tratam-se de produtos de última geração, produzidos no conceito de economia verde ou economia circular, em sintonia com o que o mundo espera para a economia na era pós-pandemia”, comenta o presidente Helenio Waddington.

 

Siga-nos