Prefeitura apresentou uma melhora significativa e o funcionamento eficaz da organização

Por Rayne Arouca
Redação JT


Acabou o carnaval e o balanço apresentado pela Prefeitura do Rio de Janeiro apresentou uma melhora significativa e o funcionamento eficaz dos planos de organização. Cariocas e turistas nacionais e internacionais estão satisfeitos pela realização do maior espetáculo da terra.

Uma pesquisa realizada pela Riotur, com parceria com o Núcleo de Pesquisas da ESPM-RJ, 95% das pessoas entrevistadas no sambódromo, recomendariam a algum amigo conhecer o carnaval da cidade, enquanto entre o s participantes do carnaval de rua, a porcentagem aumenta para 98%.

Neste ano desfilaram 492 blocos de rua autorizados pela Prefeitura, ao todo 5.364.740 foliões no Carnaval de rua, apenas 0,19% superior ao ano de 2012. A cidade recebeu 1,212 mil visitantes no período, com renda gerada estimada em U$ 848 milhões. Este ano o Centro de Operações Rios colaborou com a contagem do público do carnaval. O Cordão do Bola Preta registrou 1,8 milhões de pessoas, contra 2,2 milhões divulgados no ano passado.

A melhor distribuição pelas sete regiões da cidade e a quantidade maior de banheiros químicos possibilitou aos foliões curtirem o Carnaval de rua mais organizado e tranquilo, beneficiando também os moradores da cidade, especialmente na questão da fluidez do trânsito.

- Nossa meta não é bater recordes, e sim oferecer uma festa melhor e mais organizada para quem brinca e para quem vive no entorno dos desfiles. Ter uma contagem exata irá nos ajudar no planejamento da festa, de forma que ela fique cada vez melhor com o passar do tempo. Estamos no caminho certo, como indica a pesquisa de satisfação – ressalta o secretário de Turismo, Antonio Pedro.

O secretário também comemora o crescimento do carnaval nas demais regiões da cidade.

-Não só instrumentos de contagem de público estão mais eficientes, como também foi acertada a estratégia de colocar mais blocos desfilando ao mesmo tempo em diferentes pontos da cidade. Vale destacar os aumentos de público na Zona Norte (85%) e Oeste (98%), com blocos como Meu Amor Vou Ali, que teve público de 50 mil pessoas em Vila Valqueire/Campinho, na Zona Norte,  e o Tamu Junto in Folia, com 60 mil em Padre Miguel, na Zoa Oeste.

O mercado hoteleiro de acordo com a ABIH-RJ registrou 87,25% de sua capacidade. Os bairros mais concorridos foram Leme e Copacabana (91,86%), seguindo de Ipanema e Leblon (90,20%) e Flamengo e Botafogo (86,75%). Por último Centro (85,66%) e Barra da Tijuca/ São Conrado (81,77%). A novidade para o Carnaval de 2013 ficou por conta da origem dos turistas. De acordo com o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes, os brasileiros foram predominantes. “Em carnavais passados registramos uma média entre 65% e 70% de turistas internacionais.. Para esse Carnaval cerca de 70% dos hóspedes eram nacionais”, conta.

A movimentação na cidade não foi apenas nos hotéis, no domingo de Carnaval (10/02) o Terminal de Cruzeiros do Píer Mauá bateu recorde internacional de atracações, com oito navios simultâneos, com uma média de movimentação de 40 mil pessoas, com uma média de arrecadação de U$15 milhões. A média total entre o sábado de Carnaval (09/02) e a terça-feira (12/02), é de 70 mil turistas, com injeção de U$21 milhões na economia da cidade.

Desde o Dia 20 de janeiro até domingo de pós-carnaval, 17 de fevereiro, a Seop encaminhou para as delegacias da cidade 808 mijões (67 mulheres e 18 estrangeiros) por urinarem nas ruas. O número de estrangeiros detidos supera o do ano passado, quando quatro pessoas foram parar nas delegacias da cidade por fazer xixi em via pública. Entretanto o número total é inferior ao do ano passado, quando a Seop encaminhou para a delegacia 1.014 mijões (118 mulheres e quatro estrangeiros). O bom funcionamento dos 17,2 mil banheiros químicos nos trajetos dos blocos (2,2 mil a mais do que no ano passado), ajudou a diminuir o número de apreendidos. A novidade foi a instalação de 55 contêineres sanitários, distribuídos em 18 pontos espalhados pela Zona Sul, Centro, Bangu e Pedra de Guaratiba.

As ações de incluíram ainda a organização do trânsito, com controladores de tráfego, 1.200 diárias no total; 200 cones de 75 cm e 50 cones de sinalização; oito Pick Ups que ajudaram no controle da secretaria de Ordem Pública, 75 faixas indicativas, 350 galhardetes de sinalização de trânsito e três painéis de LED, além de80 diárias de UTI móvel e produção  e publicação de 500 mil exemplares de guias com os roteiros dos blocos, distribuídos nos pontos de informações turísticas, como hotéis, aeroportos e nos quiosques de informação bilíngue espalhados pela cidade.

Siga-nos