Setor aumentou participação e agora representa 58% do total das viagens aéreas
As receitas com viagens corporativas tiveram crescimento nominal de 18,61% em 2011, atingindo R$ 25,1 bilhões, ante os R$ 21,2 bilhões de 2010, segundo dados do IEVC (Indicadores Econômicos das Viagens Corporativas). A alta veio acima dos 8,5% esperados pelo índice do ano passado. A pesquisa é coordenada pela Abgev (Associação Brasileira de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas), co-realizada pelo Senac-SP e tem apoio da Abracorp.

Considerando o efeito multiplicador na economia, o volume de negócios gerado por esse mercado chega a R$ 47,5 bilhões, levando em conta as receitas dos segmentos de transporte aéreo, hospedagem e locação de automóveis. Além disso, o setor de viagens corporativas aumentou seu porcentual na indústria de viagens aéreas, passando de 56,67% dos R$ 37,4 bilhões gerados em 2010 para 58,10% dos R$ 43,3 bilhões de 2011.

O aumento expressivo é apontado pelo gerente da área educacional de eventos do Senac São Paulo, Marcelo Dias Calado, responsável pela pesquisa, como consequência do aquecimento interno da economia frente ao cenário de crise na Europa e Estados Unidos; a ampliação da demanda pelo transporte decorrente da renda dos brasileiros; pelo aumento da competição entre as empresas aéreas; continuação da valorização do real frente ao dólar e avanço das novas tecnologias e aplicativos no setor de viagens de negócios.

“Já tradicional e uma referência no mercado corporativo, o sexto IEVC reafirma a dinâmica do setor de viagens corporativas que cresceu acima do esperado e aumentou sua participação no mercado de viagens, em que é responsável pela maior fatia. Os números mostram a pujança do setor e seu impacto na economia brasileira, sendo o motor que movimenta dezenas de segmentos e gera milhares de empregos”, ressalta Viviânne Martins, presidente da Abgev.

Novidade

Neste ano, o IEVC incluiu três novos segmentos da cadeia produtiva das viagens corporativas: alimentação, agenciamento e tecnologia (serviços de software customizados e não customizados), que compõem o IEVC Ampliado. Esse novo índice elevou em 8,75% o indicador financeiro das viagens corporativas, chegando a R$ 28,6 bilhões, contra R$ 25,1 bilhões do IEVC Tradicional (estadia, locação de automóveis e transporte aéreo). O IEVC Ampliado gera efeito multiplicador de R$ 61,3 bilhões.

Para 2012, a projeção é de crescimento de 13,49% (R$ 32,4 bi) do IEVC Ampliado e de 14,73% (R$ 28,8 bi) para o IEVC Tradicional. A expectativa é baseada na continuidade da política de incentivo do governo ao consumo, como a queda da Taxa Selic, e a ampliação do crédito ao consumidor, induzindo a manutenção do nível do consumo interno e a consequente geração de emprego e renda.

“As perspectivas para 2012 são positivas para toda a cadeia do trade corporativo brasileiro”, enfatiza o Professor Doutor Hildemar Brasil, do Iehlatur (Instituto de Hospitalidade, Lazer e Turismo). Segundo ele, que coordenou a pesquisa, no médio prazo as perspectivas continuam positivas e devem ser impulsionadas pela realização da Copa 2014 e Olimpíadas 2016.

"Esses eventos já provocam aquecimento na cadeia das viagens corporativas. Há um crescimento significativo do segmento de transporte aéreo que provoca uma avalanche nos demais segmentos e dinamiza as necessidades das empresas. Além disso, ainda há demanda reprimida nos setores básicos das viagens corporativas, o que nos faz esperar crescimento do setor de 25% em 2014”, afirma. Hildemar Brasil ressalta ainda que Copa e Olimpíadas também são considerados eventos corporativos, já que grande parte dos ingressos é paga por empresas, via CNPJ.

Setores

No IEVC Ampliado, dos R$ 28,6 bilhões gerados pelo setor de viagens corporativas, 45,42% é proveniente do setor aéreo; 35,42% de estadia; 7,06% de locação de automóveis; 5,32% de alimentação; 4,42% de agenciamento e 2,15% de tecnologia.

Em 2011, o governo brasileiro reduziu seus gastos com passagens e diárias em 34,87% em relação a 2010. No ano passado, foram R$ 1,1 bilhão em diárias e passagens contra R$ 1,6 bilhão em 2010.

Empregos

Já o total de empregos - diretos e indiretos - gerados pelo IEVC Ampliado em 2011 foi de 676 mil. A projeção para 2012 é atingir a marca de 703 mil.

Os dados foram divulgados durante a sétima edição do Lacte (Latin American Corporate Travel Experience), que ocorre até esta terça-feira, no Grand Hyatt São Paulo. Maior encontro do setor, o Lacte é realizado pela Abgev e conta com mais de 700 profissionais esse ano.

O estudo analisa as informações dos segmentos envolvidos com base nos relatórios do PAS-IBGE e é realizado junto a empresas associadas à Abgev, com apoio da Abracorp, Abras e Fohb.
 

Siga-nos