Maritaca Turismo leva os destinos de Sacramento, Araxá e Serra da Canastra para o catálogo de produtos da operadora

Nos dias 8 e 9  de fevereiro foi realizado em São Paulo, o 18º Workshop & Trade Show CVC, considerado o maior evento privado de turismo no país. Compareceram mais de 600 expositores nacionais e internacionais, vindos de 20 países. O objetivo da feira foi mostrar as tendências do setor e anunciar novidades para 2012 e 2013. E a empresa Maritaca Turismo, associada à Abeta, além de marcar presença no evento, passou a fazer parte do catálogo de produtos da CVC ao operar roteiros na Serra da Canastra, Sacramento e Araxá (MG) - agora comercializados pela operadora de turismo.

Mudanças recentes na direção da CVC levaram a operadora a buscar destinos diferenciados. Na nova proposta, a Serra da Canastra e a Serra do Cipó se tornaram roteiros da operadora em Minas Gerais. Além disso, para selecionar os receptivos de turismo de aventura, a CVC passou a exigir que as empresas tenham o Sistema de Gestão da Segurança certificado em conformidade com a Norma Técnica da ABNT NBR 15331. Uma conquista para todos os empresários que investiram no processo de implementação e certificação do SGS.

O empresário Frederico Crema, da Maritaca Turismo, resume bem a satisfação de ter apostado na iniciativa: “O processo para a certificação  em nossa empresa foi um aprendizado fantástico e hoje podemos dizer que a empresa evoluiu muito com esta implementação no que se diz respeito a gestão do negócio como um todo. A decisão de investir na certificação é um passo a frente”. Ele conta que menos de um mês após receber o resultado da auditoria realizada na empresa já havia estreado um roteiro com a CVC. “A resposta do mercado foi quase imediata, é uma ação que com certeza vai ter um viés muito positivo para nossa empresa”, analisa.

O coordenador geral da Abeta, Gustavo Timo, enumera as vantagens da certificação: “Desde o atendimento ao cliente, a qualidade dos produtos, da experiência que oferecem ao visitante e a segurança das atividades. O negócio fica mais consistente e o empresário tem mais condições de competir no mercado. Todos saem ganhando, a empresa, o destino, a equipe, o empresários e principalmente os turistas”.

Para ele, “a implementação do Sistema de Gestão da Segurança no Brasil mudou o patamar da oferta das empresas. As empresas que investiram no processo e os destinos onde isto aconteceu são agora a referência nacional. O Brasil passou a ser reconhecido no mundo como referência e as empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura ganharam capacidade de negociar com outras empresas e serem melhor reconhecidas e avaliadas pelos consumidores”.

No Brasil hoje são 96 empresas com o Sistema de Gestão da Segurança certificado.

 

 

Siga-nos