Destino enviou para o evento a maior missão comercial internacional de sua história, com a presença de 30 companhias Fechando o primeiro dia de atividades do 37º Encontro Comercial Braztoa, aconteceu na última quinta-feira o encontro de negócios “Isto é Nova York”. Representativo do momento aquecido do mercado e do interesse mútuo para a realização de ainda mais acordos, o destino enviou para o evento a maior missão comercial internacional de sua história, com a presença de 30 companhias.

Os números recentes do desempenho do Brasil na cidade, bem como as projeções para o futuro, justificam o investimento. “Os brasileiros deixaram US$ 1,6 bilhão exclusivamente em Nova York em 2011. Para 2012, esperamos que essa cifra atinja US$ 2 bilhões, com a ida de 800 mil brasileiros para lá”, contou Fred Dixon, vice-presidente sênior de Desenvolvimento de Turismo e Convenções da NYC & Company, organização parceira oficial de marketing da cidade.

“O número de brasileiros em Nova York triplicou ao longo dos últimos cinco anos, portanto é grande o interesse dos parceiros aqui presentes, provenientes de segmentos bem variados, como, por exemplo, hotéis, museus e demais atrativos”, acrescentou Danielle Roman, diretora da Interamerican, representante de destinos americanos no Brasil.

Dixon ressalta especialmente a importância da participação nesse tipo de encontro, como complemento ao trabalho no espaço de exposições, pois há uma melhor oportunidade de se apresentar as novidade e diversificar informações oferecidas aos agentes e operadores. “Nova York é uma cidade muito dinâmica. Por mais tradicional que seja a presença dos brasileiros, ela agora começa a se desdobrar e aqui podemos desenvolver um trabalho verdadeiramente educacional, mostrando o que têm a oferecer além de Manhattan, em todos os seus cinco distritos”. Para complementar esse esforço, ele cita a criação da NYC Travel Trainning Academy, mecanismo de ensino à distância que oferece conteúdo em português aos profissionais brasileiros sobre o destino.  

Liz Gilbert, diretora nacional de Vendas para a Indústria de Turismo da Entertainment Cruises, participando do encontro de negócios pela primeira vez, também viu em suas reuniões a oportunidade ampliar os negócios por meio da oferta de informação qualificada à cadeia de distribuição. “Minhas conversas foram incríveis. Nova York é famosa pelas compras, pelos hotéis. Como trabalhamos com cruzeiros, temos que fazer a informação sobre nossos produtos chegar ao conhecimento dos profissionais para que os consumidores saibam que têm mais essa opção na cidade. Essas conversas pessoais são excelentes para isso”.

Entre os brasileiros que circulavam pelo encontro de negócios, a percepção geral era a de que havia uma grande abertura para se fazer negócios com os fornecedores nova-iorquinos. “Já costumamos trabalhar com diversos produtos aqui oferecidos, mas por outros mecanismos. Estamos percebendo hoje uma maior disponibilidade para estabelecermos alguns diretos em determinadas situações, como para grupos fechados. E isso só é possível porque o Brasil é reconhecido pela alta produtividade, o que dá a eles maior segurança para trabalhar dessa forma agora”, contou Jorge Souza, gerente de Marketing da MMT Gapnet, em uma pausa entre as diversas conversas que teve.

“Falei com todos os representantes do encontro. E consegui o que vim aqui buscar. Percebi todos muito interessados, esclareci dúvidas e tive conversas produtivas e objetivas. E também consegui abertura para negociar diretamente com alguns fornecedores para operarmos grupos, o que é muito importante para a empresa nesse momento de nossa trajetória’, disse Vera Cunha, diretora da Travel Now Brasil.

Siga-nos