Vendas compartilhadas em sites e aposta em produtos diferenciados já geram receitas de até R$ 220 milhões para algumas empresas O diretor comercial da Travel Ace, Evandro Correa, realizou na última quinta-feira, durante a reunião geral da Abracorp (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas), no Hotel Pestana, em São Paulo, a apresentação “Receitas adicionais para incrementar o seu negócio”. Atualmente, a Travel Ace atende 36 empresas associadas a Abracorp.

Durante 30 minutos, o executivo fez uma análise de mercado para mostrar como empresas de diversos segmentos estão apostando em outros nichos de mercado para incrementar a receita de suas empresas. “Companhias aéreas não vendem apenas bilhetes em seus sites. A venda conjugada de produtos já existe, mas as grandes empresas de turismo precisam acreditar mais nesse mercado”, afirmou Correa.

Evandro comentou como algumas empresas estão se destacando: “As lojas Marisa estão vendendo seguros em seu site e chegam a faturar R$ 75 mil em receita por mês, sendo 15% desse valor o lucro líquido”, explicou. O diretor pontuou também que a Magazine Luiza fatura aproximadamente R$ 220 milhões em apólices de seguro. A Editora Abril deixou de vender somente livros em seu site e passou a vender eletrodomésticos. “Na TAM, as receitas adicionais já correspondem a 10% do faturamento”, acrescentou.

A Travel Ace, por exemplo, fez uma parceria com todas as armadoras de cruzeiros que navegam pelo litoral brasileiro. Em 2004, foram apenas 899 passageiros cobertos. Já entre a temporada 2011-2012, mais de 250 mil cruzeiristas viajaram assegurados. “Os empresários precisam abrir os olhos para esse nicho e as ferramentas já existem. É preciso acreditar”, observou.

Ainda mostrando como é possível adaptar produtos para diferentes áreas de negócio, Evandro Correa apresentou o case corporativo utilizado na Petrobras, Vale, Bayer e Unilever. “Conseguimos assegurá-los com um programa de prevenção de riscos. Os funcionários dessas empresas viajam para o Sudão, Somália, entre outros destinos em que a infraestrutura médica não é referência mundial”, analizou.

O dirigente também lembrou os presentes que para embarcar a Europa, o seguro de viagem ou cartão de assistência já é obrigatório. “Os Estados Unidos não exigem, mas uma cirurgia de apendicite vale R$ 14 mil. Mesmo sabendo desses gastos, 30% dos brasileiros que viajaram ao exterior no ano passado não utilizaram um cartão de assistência”, completou.

Siga-nos