Navios de cruzeiro e restaurantes apresentaram mais risco para a saúde da população entre 15 itens inspecionados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nos portos, aeroportos e recintos alfandegados brasileiros em 2012


Navios de cruzeiro e restaurantes apresentaram mais risco para a saúde da população entre 15 itens inspecionados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nos portos, aeroportos e recintos alfandegados brasileiros em 2012. É o que aponta relatório divulgado pela Agência nesta sexta-feira (8/3).

O relatório é uma consolidação das inspeções sanitárias realizadas pela Anvisa, com a utilização do sistema Sagarana. “O sistema é utilizado para o planejamento, registro e monitoramento das fiscalizações realizadas pela Agência em portos, aeroportos e recintos alfandegados de todo país”, explica o diretor de Monitoramento e Controle da Anvisa, Agenor Álvares.

Além de navios de cruzeiro e restaurantes, a Agência avaliou as condições sanitárias de aeronaves, embarcações, embarcações regionais, abastecimento de água, abastecimento de alimentos, climatização e sistema de esgoto. Ônibus, limpeza e desinfecção, resíduos sólidos, retirada de resíduos, sistema de água e vetores também foram itens inspecionados.

“O risco é avaliado de acordo com a probabilidade, severidade e relevância de cada irregularidade verificada durante a inspeção”, esclarece o diretor da Anvisa. As aeronaves, os sistemas de abastecimento de alimentos e de esgoto foram os itens que apresentaram as melhores condições sanitárias.

Os itens inspecionados são classificados de acordo com a pontuação de risco envolvida. Quanto menor a pontuação média de risco, melhores são as condições sanitárias do item fiscalizado.

Dados

No ano de 2012, o Sagarana foi utilizado na execução de 11.118 inspeções sanitárias, em 71 postos da Agência, espalhados por todo o Brasil. “Cada controle avaliado durante a inspeção sanitária, quando não está satisfatório, resulta em risco registrado e quantificado dentro do sistema”, afirma Álvares.

As inspeções em aeronaves corresponderam a 44% das fiscalizações realizadas pela Anvisa por meio do Sagarana. Em seguida, estão as embarcações, com 27%, e os serviços de alimentação com 8%.

Siga-nos