Operadora prepara um roteiro exclusivo nas montanhas

A subida ao Monte Everest começa suave e ao longo das margens do rio Koshi Dudh. A viagem segue por vilarejos com trechos íngremes, onde a caminhada em zigue zague e pelas montanhas arborizadas até Namche Bazar começa a ficar mais difícil. O primeiro ponto de descanso está a 3.440 metros de altitude.

No dia seguinte a caminho de Tyangboche, à medida que se sobe surge uma vista esplêndida.
A entrada em Tyangboche (3.860 m) é marcada pela chegada ao portão de pedra construído pelos lamas. A pernoite será em um lodge com vista para o Monastério, de onde é possível assistir eventuais rituais dos monges.

Deixando Tyangboche e a montanha Khumbu como pano de fundo, surge a sinuosa trilha do rio Imjatse aos pés dos picos de Ama Dablam, Nuptse e Lhotse com vista para o leste.

“Dingboche é uma linda “colcha de retalhos” de lindos campos, delimitados por muros de pedra que protegem as plantações de trigo, cevada e batata dos ventos frios e animais de pasto”, explica Roberto Nedelciu, Diretor da Raidho, que acompanhará o grupo nesta viagem.

Um descanso em Dingboche está previsto para climatizar o grupo que deverá preparar-se para o acampamento base em meio a muita neve e geleiras.

Finalmente, com destino ao Campo Base do Everest, a viagem ainda conta com passagem por Lobuche e Gorack Shep, antes de chegar ao ponto mais alto do roteiro, Kala Patthar, na Cordilheira do Himalaia (5.545 m).

Vale ressaltar que, apesar de não ser necessário um preparo físico de atleta para realizar esta viagem, a pessoa deverá ter condições de completar uma caminhada longa e com trechos extremos.
Mais informações: www.raidho.com.br

Siga-nos