Fernando PrattiResolução da Iata obrigará que os serviços auxiliares sejam feitos de forma eletrônica

 

Por Fernando Pratti, São Paulo
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

A Travelport está pronta para a implementação do EMD (Electronic Miscelaneous Document), que passará a ser adotado obrigatoriamente, segundo resolução da Iata, a partir do dia 31 de dezembro deste ano. Foi o que declarou na manhã desta quinta-feira o Fernando Pratticountry manager da empresa, Luís Carlos Vargas, em entrevista exclusiva ao Jornal de Turismo. Segundo o executivo, algumas companhias aéreas inclusive já estão funcionando nessa nova modalidade, que substitui a emissão do MCO.

 

“Podemos dizer que a Travelport está pronta, tanto é que já demos o EMD disponível para as empresas disponibilizarem no Brasil, o que já foi feito por algumas delas, como a British Airways, Alitalia, Korean Air e Iberia. Logicamente, isso varia de empresa pra outra, mas a Travelport está pronta e nem todos os concorrentes estão”, afirmou Vargas.

 

Segundo o executivo, essa mudança reflete em uma preocupação grande do mercado que terá pouco tempo para se adaptar à medida. “Essa grande quantidade de informações, que eram feitas fora do ambiente da agência de viagem, vai passar a ser feito. Só para se ter ideia, as companhias aéreas nos Estados Unidos obtêm uma grande receita com a venda desses serviços auxiliares”, analisou o country manager.

 

Há cinco anos, as companias aéreas migraram do bilhete em papel para o eletrônico, que foi a introdução do e-ticket, de acordo com demanda da Iata. Entretanto, parte desse volume de papel não deixou de existir dentro das companhias, como serviços auxiliares e cobranças de penalidades que permaneceram através dos MCOs. Agora, uma nova resolução obriga que todos esses serviços sejam feitos de forma eletrônica, o que deve impulsionar a utilização dos GDS. 

 

“Hoje, quando o agente precisa fazer qualquer serviço auxiliar ou até um change fee, como eles chamam, eles fazem na companhia aérea e não no GDS. Isso está mudando em todo o mundo e isso terá de ser feito pelo GDS. Por isso, estamos lançando um novo release do Smart Point. Para poder acompanhar e subir toda essa informação mais gráfica”, detalhou Patrícia Crespi, marketing manager da Travelport. 

 

 

Siga-nos

 

Mais Lidos

  • Semana

  • Mês

  • Tudo