Se a proposta for aprovada, hotéis, agências e outros serviços turísticos gozarão de uma série de benefícios fiscais e operacionais para venda ao exterior

O presidente da FBHA (Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação), Alexandre Sampaio, participou de audiência pública na Câmara dos Deputados hoje sobre o Projeto de Lei 1.375, de 2007, que propõe o turismo receptivo como atividade econômica exportadora. Se a proposta for aprovada, hotéis, agências e outros serviços turísticos gozarão de uma série de benefícios fiscais e operacionais para venda ao exterior.
 
“Não conseguimos desonerar o custo da atividade hoteleira. Estamos cercados de países com problemas estruturais, mas que têm políticas inteligentes de comercialização do turismo e que poderiam servir de modelo”, sustentou Sampaio. Representantes de outras sete entidades do setor participaram do encontro.
 
A audiência foi convocada pelos deputados Otávio Leite (PSDB-RJ), autor do projeto, e Rui Palmeira (PSDB-AL), da comissão de desenvolvimento econômico, indústria e comércio. Sampaio citou como exemplo de desoneração no caso da proposta ser aprovada a possibilidade de discutir a redução da tarifa de energia elétrica, que chega a ser o dobro da pleiteada. Muito mais caro que o pago pela indústria.
 
“Não vai ser fácil, mas precisamos desenvolver políticas de desoneração em busca de um custo competitivo. Assim teremos mais inserção no mercado internacional”, defendeu. Sampaio ressaltou que a votação desse projeto é apenas o primeiro passo. Em um segundo momento, a discussão deverá acontecer em torno dos serviços beneficiados e do detalhamento dos benefícios.
 

Siga-nos