V Semana do Turismo joga luz sobre importantes pleitos como o reconhecimento do turismo receptivo como atividade exportadora e a conta satélite do turismo

 

Sérgio Nery, Brasília
 
A V Semana Nacional do Turismo teve inicio nesta terça-feira, dia 27, em Brasília, e não serviu apenas para comemorar o Dia Mundial do Turismo. Os encontros promovidos também foram palcos de debates a cerca de importantes temas e gargalos do setor.
 
No período da manhã, na Câmara dos Deputados, o ministro do turismo Gastão Vieira e o presidente da Embratur, Flávio Dino se juntaram ao secretário de turismo do Rio de Janeiro e vice-presidente do Fornatur, Ronald Azaro e aos parlamentares e integrantes do trade nacional no debate sobre a Inclusão do turismo no programa de incentivo fiscal "Brasil Maior", lançado pelo governo Dilma Rousseff.
 
O programa tem emendas que podem classificar o setor de turismo como atividade exportadora, para que as empresas de receptivo turístico internacional tenham acesso aos mesmos benefícios fiscais que as empresas exportadoras. A necessidade de votação e aprovação das emendas no programa é consenso entre a cadeia produtiva e conta com apoio de deputados da CTD.
 
O deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) é um dos afeitos à inclusão do turismo no Plano Brasil Maior. “A desoneração das empresas é importante para a competitividade. Queremos incluir turismo nessa perspectiva. Quem traz turistas para o Brasil precisam ter benefícios”, disse. O deputado espera que a V Semana Nacional do Turismo sirva para que os deputados sensibilizem o relator do projeto e que uma equação melhor seja encontrada para alcançar esse objetivo.
 
O ministro do Turismo lembrou que a sua presença no evento representa um sinal de que o Governo e o Poder Legislativo estão unidos para buscar solução para este e todos os temas urgentes da pasta.
 
“O MTur toma corpo nesta Casa, graças ao trabalho de mobilização e sensibilização do ex-ministro Walfrido Mares Guia. As emendas do Congresso representam mais que a proposta orçamentária do Governo para a área”, lembrou. 
 
Os grandes eventos esportivos que o Brasil sediará foram, mais uma vez, lembrados como uma grande oportunidade para desenvolver a atividade e como grande desafio para o País. Vieira destacou a necessidade de união também do setor privado e que o evento pode fazer com que o Brasil melhore ainda mais sua imagem no cenário internacional.
 
“Temos a oportunidade de crescer e superar obstáculos e vamos aproveitá-la. Veremos o País abraçando o mundo, recebendo bem e acolhendo melhor os turistas, além de olhar de igual para igual para os turistas do mundo”, disse.
 
O vice-presidente do Fornatur, Ronald Azaro destacou que os grandes eventos representam importante momento para o País, mas é preciso trabalhar efetivamente. “É preciso acabar com os novos recomeços. Todos entendem o setor de turismo como uma ampla cadeia positiva e é necessário arregaçar mangas imediatamente e executar os projetos. Festejamos a Semana do Turismo, mas a nossa responsabilidade é maior, o que exige ousadia dos agentes do turismo”, ressaltou.
 
No Senado, autoridades e parlamentares discutem à tarde a "Conta Satélite do Turismo”. A idéia é esmiuçar o assunto e mostrar o que a conta turismo e representa e para quê ela serve. O professor da FGV, Luiz Gustavo Barbosa, o diretor de estudos e pesquisas do MTur, José Francisco Salles Lopes, a presidente do IBGE, Wasmália Bivar e o professor da USP, Wilson Rabahy foram convidados para o debate.
 
A V Semana Nacional do Turismo se estende até o dia 30 de setembro e tem como tema central “Turismo: Aproximando Culturas”, definido pela OMT (Organização Mundial do Turismo). O tema foi inspirado no papel do turismo na quebra de barreiras entre as culturas e na necessidade de motivar o respeito e a tolerância mútua.
 
De acordo com o presidente da CTD, o tema do evento é debatido internacionalmente, unificando as comemorações no mundo. “Desde 2007, Congresso se integra a essa semana de atividades mundial. A idéia do evento é sensibilizar o parlamento sobre a pauta do turismo”, definiu. 

Siga-nos