Campus em Santos Dumont (MG) oferecerá cursos nas áreas de operação e manutenção, automação ferroviária, conservação e restauração dos bens ferroviários e turismo ferroviário. O Brasil possui uma malha ferroviária de 30 mil quilômetros, na qual são operados 20 trens destinados ao turismo. Na próxima sexta-feira, o turismo ferroviário ganhará um aliado: o Centro de Excelência em Transporte Ferroviário do Ifet (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais), no campus avançado da cidade mineira de Santos Dumont.

Para prestigiar a iniciativa, o ministro do Turismo, Luiz Barretto, participará da aula inaugural do curso Técnico em Ferrovia do Ifet. A iniciativa de criar o campus surgiu da necessidade de oferecer cursos de suporte à implementação do transporte ferroviário nas áreas de operação e manutenção, automação ferroviária, conservação e restauração dos bens ferroviários e Turismo Ferroviário.

O evento contará com a presença dos ministros da Educação, Fernando Haddad, e chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci. O prefeito de Santos Dumont, Evandro Nery; o reitor do Ifet, Mário Sérgio Costa Vieira; e o diretor do Campus Avançado Santos Dumont, André Diniz, também estarão presentes.

O novo campus ocupará uma área de aproximadamente 30 mil m². A partir do segundo semestre de 2010, serão oferecidas 135 vagas para os cursos de técnico em transporte ferroviário, eletrotécnica e mecânica.

No próximo ano, serão oferecidos também cursos de técnico em transporte de carga, conservação e restauração (focado em bens ferroviários), guia de turismo e pós-graduação em automação industrial (ferrovias). Na modalidade aprendizagem, as opções serão eletricidade, mecânica e metalurgia. O projeto prevê ainda, para 2013, dois cursos na modalidade de educação a distância: transporte ferroviário e transporte de cargas.

Turismo Ferroviário


Para desenvolver uma política de fomento ao turismo ferroviário no país, especificamente, para o segmento de Trens Turísticos e Culturais, no início deste ano, foi criado o Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário. O objetivo é recuperar, requalificar e preservar trechos ferroviários em atividade ou desativados em todo o país.

No início deste mês, como forma de auxiliar os interessados na apresentação de propostas de apoio aos trens turísticos e culturais, o grupo de trabalho lançou a “Cartilha de orientação para proposição de projetos de trens turísticos e culturais”. O documento traz os requisitos exigidos por cada órgão para aprovação de um projeto de trens turísticos e culturais.

Além do MTur, compõem o grupo: Ministério dos Transportes, ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Secretaria de Patrimônio da União e a inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal.

De 2004 a 2009, o MTur investiu R$ 16,9 milhões em trens turísticos. Entre as ações desenvolvidas estão reforma de estações ferroviárias e trilhos.

Siga-nos