Iniciativa do MTur em parceria com o Sebrae visa impulsionar a formalização de empresas e empregos no setor de Turismo

Mônica Turboli, Rio de Janeiro

 
Chega no mercado uma nova iniciativa para aprimorar o profissionalismo no setor de Turismo. O MTur (Ministério do Turismo) em parceria com a Fundação Universa e com o apoio institucional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) realizou o lançamento nacional nesta sexta-feira, dia 17, do programa "Empresa Formal, Turismo Legal". A medida visa impulsionar a formalização de empresas e empregos no setor de Turismo.
 
Tornar conhecida a legislação sobre a formalização e seus benefícios é um dos objetivos do programa "Empresa Formal, Turismo Legal". O acesso à linhas de financiamento especiais, com juros inferiores aos praticados pelo mercado, e à cursos de capacitação a distância representam alguns dos principais benefícios oferecidos pelo programa. Outro objetivo é promover o registro de empresas e empregos no Cadastur, o Sistema de Cadastro de Pessoas Físicas e Jurídicas que atuam no Turismo.
 

Palestrantes Vanessa Cohen, Sérgio Mello, Fábio Mello, Valdir Neves e Pedro Guimarães

 
O primeiro painel do evento contou com a presença de Fábio Mello, coordenador da Fundação Universa, que destacou a importância do projeto em qualificar e capacitar os profissionais do Turismo para prepará-los para os megaeventos que vão acontecer nos próximos anos. "O empresariado tem respondido bem ao projeto, pois acredita que a capacitação é a chave para um Turismo de qualidade".
 
Segundo Fábio, 59% das pessoas que trabalham no trade turístico não tem registro profissional. "O nosso desafio é formalizar empresas e empregos para colocar o Brasil entre os principais destinos turísticos do mundo". O projeto já foi divulgado em 77 destinos turísticos, que equivale a 102 mil km percorridos, mobilizando 52.300 pessoas e realizando 9.050 cadastros de profissionais no Cadastur.
 
Já Valdir Neves, secretário nacional de desenvolvimento do Turismo, defendeu a eficiência do MTur e revelou que praticamente 100% do orçamento do ministério é executado. "O importante é que o próximo governo dê continuidade a esses projetos para receber bem os turistas nos próximos anos para que o Brasil não fique conhecido apenas pela sua hospitalidade, mas também pela sua qualidade de infraestrutura". Até a Copa de 2014 a expectativa é de qualificar cerca de 300 mil profissionais.
 
Para Vanessa Cohen, coordenadora dos Projetos de Turismo do Sebrae/RJ, que ressaltou a importância de estimular e executar a formalização no setor de Turismo. "Não adianta um cenário de oportunidades enorme se não soubermos aproveitá-lo, pois a situação da informalidade não gera um desenvolvimento", acredita. O melhor caminho é apoiar e formalizar o empreendedor individual, para aumentar a competitividade e a excelência dos serviços prestados.
 
Segundo Sérgio Mello, diretor de operações da TurisRio, o projeto vem ao encontro do que já estava sendo feito, com o apoio dos municípios e de instituições. "Já estamos fazendo o cadastramento de empresários do interior e divulgando cartilhas sobre as vantagens do registro. Esse movimento criou a possibilidade de pessoas que estavam na informalidade virarem profissionais capacitadas". Sérgio Mello também destacou os cursos do Sebrae que proporcionam melhor qualidade nos serviços prestados.
 
De acordo com Pedro Augusto Guimarães, subsecretário da Setur-RJ, o momento é único não só pelas conquistas, mas também pelas transformações. Em visita à Itália, Pedro disse que recebeu reclamações das agências de viagem italianas pelo alto preço de Turismo no Brasil. "Temos que justificar os preços pela alta qualidade dos nossos serviços e produtos e gerar um turismo brasileiro cada vez mais profissional".
 

Convidado internacional Claude Pretorius, da África do Sul

 
O evento ainda recebeu o convidado internacional Claude Pretorious, diretor de marketing da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, que mostrou as oportunidades criadas no país para que o evento fosse realizado com sucesso. "A Copa do Mundo é uma oportunidade para o mundo ver tudo que o Brasil tem para oferecer como destino turístico fora do carnaval". Segundo Claude, o evento mundial proporcionou um crescimento de 32% da chegada de turistas estrangeiros, em relação ao mesmo período no ano anterior.
 

Siga-nos