Luiz Dias Guimarães participou do 1º Fórum Metropolitano de Qualificação Profissional para o Mercado de Trabalho Os estudantes de cursos ligados ao Turismo, como Gastronomia, Hotelaria e Eventos devem manter o foco na especialização profissional e no aprendizado de uma segunda língua. Principalmente com a aproximação dos Jogos da Copa 2014. O aviso é do presidente do SRC&VB (Santos e Região Convention & Visitors Bureau), Luiz Dias Guimarães, que participou na tarde da última terça-feira do 1º Fórum Metropolitano de Qualificação Profissional para o Mercado de Trabalho, realizado no Parque Balneário Hotel, na cidade de Santos.

“A Região tem crescido muito no setor de Turismo nos últimos anos. Santos, por exemplo, tem conseguido manter uma taxa de 70% de ocupação hoteleira ao longo do ano, o que é excelente. Temos  três novos hotéis em funcionamento e cinco em construção. Foram criados 2.000 novos postos de trabalho, por causa da oferta de mil apartamentos a mais. Mas sinto que corremos um risco. Já há falta de mão de obra especializada, qualificada”.

Guimarães chamou a atenção dos estudantes para o que chama de  “esvaziamento do interesse” com relação à qualificação  profissional no setor de Turismo. Ele lembrou aos presentes que a  cidade, que é o polo universitário da Baixada Santista, já teve mais  estudantes da área e um número maior de faculdades.

“A Copa está se aproximando. Conseguimos credenciar em Santos dois  hotéis e dois locais de treinamento com condições de receber  seleções que irão disputar os Jogos, entre eles o CT (Centro de  Treinamento) Rei Pelé”, contou Guimarães, que também lidera o  Comitê Santos Pró-Copa. “Recentemente, recebemos a visita de  delegações de outros países, em busca de informações sobre a  cidade e a Região”.

E é por conta dessa urgência em melhor atender os visitantes que o presidente do SRC&VB fez o alerta aos estudantes que participaram do Fórum. Ele avisa que a Região precisa ainda melhorar em muitos aspectos para tornar-se um polo turístico, principalmente para o mercado internacional. “Em Praga, por exemplo, os cardápios dos restaurantes são apresentados em três línguas. Mas aqui, na Baixada Santista, o Inglês ainda não foi difundido entre os profissionais do setor. E o Inglês, num mundo globalizado como o que vivemos, é imprescindível”.

Guimarães destacou que as secretarias de Turismo de Santos e São Vicente já oferecem cursos gratuitos de capacitação em Inglês, destinados principalmente aos profissionais e servidores que lidam diretamente com o público. E lembrou que o SRC&VB apresentou recentemente, em parceria com os nove municípios da Região, um projeto à Secretaria de Turismo do Estado, para a criação de um curso metropolitano de Inglês, já em análise de implementação.

“O que nos une são as nossas diferenças. Isso é o que nos torna fortes como Região. Santos é polo porque oferece infraestrutura de hotelaria, eventos e uma série de serviços que as demais não possuem. Em contrapartida, as outras cidades podem oferecer passeios, atrativos que Santos não tem. Para fortalecermos nossa Região como um polo turístico, precisamos reconhecer essas diferenças e utilizá-las ao nosso favor”, concluiu.

Siga-nos