Embratur aponta que 104 mil turistas que desembarcam no Brasil tem como foco o estudo

Os turistas americanos são considerados prioridade para o Brasil, uma vez que integram o maior emissor de turistas para o País. No que depender da Amcham-Recife (Câmara Americana de Comércio), Consulado dos EUA em Recife, secretarias estaduais de Turismo e de Ciência e Tecnologia, e Secretaria de Turismo do Recife, o número tende a aumentar. Isso porque ontem (7) foi dada a largada para uma iniciativa que incentivará o turismo educacional entre os EUA e Pernambuco.

 

Para tratar do assunto, reitores e representantes de universidades locais estiveram presentes no Universidade Global, fórum que aconteceu no Recife Antigo com a presença do secretário de Turismo do Recife, Carlos Braga, da gerente regional da Amcham-Recife, Alessandra Borba, do secretário de Ciência e Tecnologia de Pernambuco, Marcelino Granja, e da coordenadora geral de Estruturação de Produtos da Embratur, Patrícia Fernandes.

 

“A iniciativa visa fomentar o contato entre as instituições de ensino locais com as americanas para potencializar os negócios e turismo de educação”, disse Alessandra Borba.

 

Segundo dados da Unesco, são mais de cem milhões de estudantes de ensino superior no mundo e 2,7 milhões cursam faculdade fora do país de origem. Em 2025, o número tende a alcançar os oito milhões.

 

“Temos voos para os Estados Unidos via American Airlines, Copa Airlines e estamos em negociação de nova frequência para Nova York. Essa iniciativa do Universidade Global deve contribuir para aumentar o fluxo turístico e a troca de conhecimentos, estreitando as relações entre os EUA e Pernambuco”, comentou o secretário Carlos Braga.

 

A Embratur aponta que 104 mil turistas que desembarcam no Brasil tem como foco o estudo. “Queremos nos aproximar mais da academia, visando o turismo e intercâmbio, inserindo no rol dos produtos de promoção do Brasil no exterior”, afirma Patrícia Fernandes.

 

De acordo com dados da Organização Mundial do Turismo (OMT), o gasto médio do turista que viaja para estudar é de US$ 2,6 mil com permanência média de 53 dias. Além disso, 70% dos que viajam para estudar tem entre 16 e 29 anos. Os estudantes representam 20% do volume de viagens internacionais.

 

O Universidade Global já tem o apoio da UFPE, UFRPE, UPE, FBV, Unicap, Fafire e Uninassau. O calendário da iniciativa prevê reuniões com reitores de universidades americanas em novembro. São esperados representantes das cidades de Nova York e New Jersey, e dos estados de Washington, Maryland, California, Ohio e Pennsylvania.

Siga-nos

 

Mais Lidos

  • Semana

  • Mês

  • Tudo