Rede Brasil de Municípios, uma plataforma digital para beneficiar o turismo, e a legalização dos jogos de azar no país estiveram na pauta do 21º encontro do Fórum

 

O ForEVENTOS - Fórum das Entidades do Setor de Eventos reuniu representantes de diversas entidades do setor no último dia 15 de dezembro, em São Paulo, para a discussão de novas propostas para o desenvolvimento do mercado. Entre os assuntos da pauta, esteve a instituição de uma plataforma digital única para reunir informações turísticas e de eventos no Brasil e a proposta de legalização dos jogos de azar. 

O diretor do Gestour Brasil, Vadis Luiz Silva, apresentou a Rede Brasil de Municípios Interativos, uma plataforma única que integra destinos, meios de hospedadem, passeios, traslados, eventos e atrativos dos destinos, como facilitador tanto para o público final como para toda a cadeia produtiva do setor. "O objetivo é dotar o Brasil com um e-marketplace especializado no turismo nacional e tornar o país um modelo internacional no uso da tecnologia para fomentar o desenvolvimento do turismo de forma integrada", explicou Vadis Silva.

Sem custo, a plataforma oferece a oportunidade para que empresas organizadoras de eventos, hotéis e destinos criem seus próprios portais, personalizados, e tornem-se "varejistas do turismo", uma vez que cada página poderá comercializar os produtos de todas as empresas integradas ao sistema, com direito a comissionamento. "Empresas organizadoras de eventos, por exemplo, poderão criar um portal exclusivo para seu evento, que funcionará também como uma loja virtual multiprodutos e multifornecedores para os participantes", disse.

Na sequência, Magnho José, presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal – IJL, levou aos participantes informações sobre o andamento do PLS 186/2014, que legaliza os jogos de azar no Brasil, com dados deste mercado. "O Brasil movimenta R$ 14 bilhões por ano em apostas legais e R$ 19,9 bilhões em apostas ilegais. A indústria mundial do jogo movimenta, anualmente,US$ 488 bilhões (dados de 2015), com mais de 6.840 cassinos legais no mundo. O Brasil tem muito potencial para desenvolver novamente este mercado, que poderá beneficiar diretamente o setor de eventos e de turismo", pontuou.

O 21º encontro do ForEventos foi finalizado com palavra da presidente, Elza Tsumori, que apresentou uma retrospectiva das atividades do grupo durante 2015. "O setor tem necessidade de se fortalecer. Este ano tivemos entrada de três novas entidades, com previsão de mais uma em 2016, fechando o circulo do setor, entre membros efetivos, parceiros e convidados. Vamos manter pauta relevante e consistente, discussões ligadas ao institucional, legislação, para contribuirmos para o crescimento do mercado", grifou.

Entre os convidados, estiveram também presentes Wilson Ferreira Jr., presidente eleito da AMPRO; Anita Pires, VP de Articulação Política do ForEVENTOS ​ e membro da Academia Brasileira de Eventos e Turismo; Sérgio Junqueira Arantes, diretor da Academia Brasileira de Eventos e Turismo; ​Jorge Alencar, vice-presidente de projetos da ABEOC; ​João Bueno, diretor executivo da Associação Brasileira de Resorts,  Ana Luisa Cintra, ​Diretora do Centro de Convenções Rebouças e ​VP da ABRACCEF; ​Paulo Renato Fonseca Junior, presidente da Eventpool; Aristides Cury, ​presidente da Skal SP e VP do ForEVENTOS; Enid Câmara, diretora de Eventos​ da Skal Internacional do Brasil;​ Leila Bueno, VP da ABRAFEC e diretora do ForEVENTOS​; Rodrigo Cordeiro, presidente eleito do MPI; e Marcia Alves, consultora da CNC.

O ForEVENTOS é um grupo de discussão e articulação estratégica, de caráter permanente e transversal, que tem por finalidade o reconhecimento e o fortalecimento econômico, social e político da cadeia de valor do Setor de Eventos junto aos mercados, à sociedade civil e às esferas governamentais. Foi criado em julho de 2011 para discutir assuntos de interesse comum do mercado de eventos e, com a integração das entidades da área, conseguir um desenvolvimento mais organizado do mercado.

 

Siga-nos