Atualmente, 10% da população mundial trabalha na indústria do turismo.

 

O Talent Boost, primeiro evento organizado pelo Fórum Mundial de Turismo de Lucerna na América Latina, aconteceu hoje no hotel Tivoli São Paulo Mofarrej. O fórum reuniu a indústria do turismo e hospitalidade, autoridades governamentais, professores e estudantes que discutiram os principais desafios e oportunidades nas carreiras e mercado de trabalho no setor. Atualmente, 10% da população mundial trabalha na indústria do turismo.

Alexandre Solleiro, do BHG, Juerg-Herbert Baertschi, Vice-Presidente da Korn Ferry, Mariana Aldrigui, professora da USP, Xuanyi Wang, estudante da USP e Magda Nassar, da Braztoa Ricardo Cardoso

O evento começou com a abertura do professor Martin Barth, CEO do Fórum Mundial de Turismo de Lucerna, que falou da importância de ter um fórum como este no Brasil. Entre as palestras apresentadas, destaca-se a de Aradhana Khowala, consultora e sócia-diretora da Bridge.Over Group, que destacou a importância de mão-de-obra qualificada para alavancar o crescimento do turismo no país. Segundo seus estudos, se o Brasil priorizar o crescimento do setor de turismo com capacitação e promoção, poderá aumentar sua contribuição ao PIB em cerca de US$ 75 bilhões, elevará a sua posição no ranking mundial de competitividade e criará mais de 8 milhões de empregos. Em 2015, o Brasil passou para a 28ª posição no ranking mundial de turismo e hospitalidade por causa da Copa do Mundo, que atraiu milhares de turistas. Até 2013, sua posição era a de 51ª.

Para conseguir chegar a este objetivo, a consultora destaca o investimento na educação. “As soluções a longo prazo são: aumentar o acesso à educação, construir mais escolas, diminuir a evasão escolar e melhorar a qualidade de ensino fundamental e nas faculdades”, afirma.

Universidade e Empresas juntas

Gioia Deucher, CEO da Swissnex Brasil e moderadora do evento, deu início ao painel “Como assegurar que a indústria atraia os melhores talentos” afirmando que os principais desafios para o setor de turismo e hotelaria são gerar mais oportunidades para os talentos, diminuir o vão entre a universidade e as empresas do turismo e gerar mais conectividade entre elas e os estudantes.

Deste painel participaram Alexandre Solleiro, CEO do Brazil Hospitality Group (BHG), Juerg-Herbert Baertschi, Vice-Presidente da Korn Ferry International, Mariana Aldrigui, Professora e Pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Xuanyi Wang, estudante da Universidade de São Paulo (USP), e Magda Nassar, presidente da Braztoa, que fomentaram a discussão entre as expectativas dos estudantes, o ponto de vista acadêmico e corporativo sobre como atrair e reter os talentos, e novas práticas e metodologias no mercado de turismo. Solleiro destacou: “precisamos definir as estratégias do negócio, recrutar pessoas com as competências necessárias - porque habilidades se aprende - e ter líderes bem preparados para treinar estes talentos”.  

Para a professora Mariana, há muitas expectativas dos alunos em relação ao mercado de trabalho em hotelaria, que ainda exige longas jornadas, oferece salários baixos e conta com muitas empresas que não se renovaram. “Eu sempre digo a eles para usarem a criatividade, perguntar, apresentar novas ideias, mesmo que a empresa seja mais conservadora”, afirmou.

A importância de ter um plano de carreira, preparar os estudantes para serem também empreendedores e envolver o colaborador para que ele realmente vista a camisa da empresa e se sinta motivado foram os outros temas destacados no painel.

Para ter acesso à íntegra das apresentações e das fotos do evento, visite http://talentboost2016.wtflucerne.org/downloads.

Siga-nos