A série- O Gambito da rainha- traz o inglês simples e rebuscado e essa mistura pode ser muito boa para quem está aprendendo


No final do século XV, surgiram na Europa, as peças dama e bispo ,substituindo Fers e Fil que eram utilizadas em uma modelo arcaico de xadrez. Nesta época, o jogo já tinha se popularizado na cultura européia. Em 1454, ao norte da Itália, na pequena cidade de Maróstica, aconteceu La Partita a Scacchi di Marostica, partida em que o Senhor Feudal ordenou que dois nobres, que haviam se apaixonado pela sua filha, Lionora, resolvessem o problema durante um jogo de xadrez, em vez de um duelo sangrento.

Hoje, a cidadezinha prossegue com a tradição do xadrez humano de Maróstica. Nos anos pares é encenado a tradicional disputa, no tabuleiro gigante em mármore que fica na praça central. A tradição do jogo, na segunda guerra mundial, ganhou as regiões da Rússia. Hoje, o país é considerado o lar do xadrez por reunir os melhores enxadristas do mundo. Outro lugar que vale destaque é St Louis, a capital americana do xadrez. É nos Estados Unidos que acontece a série "O Gambito da Rainha", baseada no livro homônimo, escrito por Walter Tevis em 1983, e foi lançado pela Netflix em outubro de 2020.

Nos primeiros 28 dias após seu lançamento, na Netflix, já contava com 62 milhões de visualizações, tornando-se a série com script mais assistida da plataforma. A trama narra a história de Beth Harmon (Anya Taylor-Joy), uma menina órfã prodígio no xadrez. A série se passa na década de 60, quando Beth, com 22 anos, precisa controlar a sua dependência de substâncias para tornar-se a grande enxadrista.

Mas e o que o xadrez tem a ver com o inglês?

Além do xadrez ser culturalmente disseminado na língua inglesa, as jogadas, peças e a narração dos campeonatos são feitas em inglês. Para ser um enxadrista, é necessário ter uma leitura rápida e estratégica. Interpretar o jogador oponente e criar a melhor estratégia de jogo. É necessário dominar também as combinações matemáticas. "No aprendizado de inglês alguns métodos são também utilizados, estimulamos que o aluno aprenda um nível de cada vez para no final reunir a jogada, que seria uma conversação completa. E, por meio da prática e da estratégia, mesmo que não seja perceptível, o aluno aprende outro idioma", diz Augusto Jimenez, psicólogo educacional do Centro de Formação Minds Idiomas.

O Centro de Formação Minds Idiomas, utiliza amplamente jogos em suas aulas, desde 2003. "Aplicamos o conceito de gamificação em nossa metodologia de ensino, assim o aluno fica motivado a cada nível e obtém o entendimento de uma forma mais leve e objetiva", diz Leiza Oliveira, CEO do Centro de Formação Minds Idiomas . Além disso, Leiza ressalta que o aprendizado do xadrez se desmistificou dentro das 70 unidades da rede. "Muitas pessoas acreditam que aprender a jogar xadrez é muito difícil, assim como aprender uma nova língua. E, mostramos para nossos alunos que na prática e com uma metodologia mais assertiva conseguimos quebrar estes paradigmas e estender o aprendizado", finaliza a CEO.

Aprenda inglês de um jeito inovador: matricule-se na Minds e ganhe 6 meses de curso. A rede utiliza de gamificação no aprendizado. Para saber mais, clique AQUI .

Sobre a Minds Idiomas
Com 13 anos de existência, o segredo da rede de idiomas Minds é a tecnologia. Com 72 escolas em todo país, a Minds foi a primeira rede a implantar o ensino do inglês em tablets mantendo os livros físicos. Com especialistas em captação de conteúdo, a CEO Leiza Oliveira, tem consciência que a forma de aprendizado de cada criança e adulto é individual. Personalização e inovação são as palavras que movem franqueados e alunos da rede. O tempo de duração do curso da Minds é de 18 meses e há outras modalidades de ensino personalizadas. Acesse o nosso site e conheça mais sobre o mundo Minds acessando aqui !

Siga-nos