A Fifa anunciou as cidades e os estádios que receberão as partidas da Copa do Mundo de 2026. Das 23 arenas que se apresentaram como candidatas, 16 foram escolhidas para o torneio, cuja organização será dividida entre Estados Unidos, México e Canadá.

A decisão foi divulgada em evento realizado pela entidade que comanda o futebol mundial, em Nova York, na noite de quinta-feira (16). Está entre os campos vencedores da disputa aquele em que a seleção brasileira conquistou o tri mundial.

Em 1970, o Brasil levou a Copa pela terceira vez e ficou com a posse definitiva -ou quase isso- da taça Jules Rimet. O troféu foi obtido em uma vitória por 4 a 1 sobre a Itália, no estádio Azteca, na Cidade do México, novamente sede de um Mundial.

O Azteca será o primeiro estádio a receber duelos de três edições da competição. Em 1986, o torneio foi novamente realizado no México, e o palco da decisão se repetiu. Era a consagração de Maradona, que levou a Argentina ao título em triunfo por 3 a 2 sobre a Alemanha Ocidental.

Havia a expectativa que o campo em que o Brasil ganhou o tetra, em 1994 –vitória nos pênaltis sobre a Itália, após empate por 0 a 0– também voltasse a ter jogos da Copa. Mas o tradicional Rose Bowl, em Pasadena, nos arredores de Los Angeles, foi preterido pelo moderno SoFi Stadium, em Inglewood, outra cidade na grande LA.

Nos Estados Unidos, também receberão partidas Nova Jersey (MetLife Stadium), Dallas (AT&T Stadium), Santa Clara (Levi's Stadium), Miami (Hard Rock Stadium), Atlanta (Mercedes-Benz Stadium), Seattle (Lumen Field), Houston (NRG Stadium), Philadelphia (Lincoln Financial Field), Kansas (Arrowhead Stadium) e Boston (Gillette Stadium).

Já o México terá três arenas na competição. Além do Azteca, estarão no torneio o estádio Akron, em Zapopan, nas cercanias de Guadalajara, e o BBVA Bancomer, em Monterrey. O Canadá terá dois locais de disputa, o BMO Field, em Toronto, e o BC Place, em Vancouver.

"Vamos tentar organizar a Copa de modo que as seleções e os fãs não tenham que viajar muito. No momento oportuno, vamos decidir o local de abertura e o palco da final", afirmou o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

"Em 2026, o futebol vai ser o esporte número um nesta parte do mundo."

A Copa do Mundo de 2026 será a primeira com 48 seleções -atualmente, são 32. Elas serão divididas em 16 grupos com três equipes cada um. As duas primeiras de cada chave avançarão ao mata-mata, na fase anterior às oitavas de final.

Aprovada em 2017, a ampliação foi uma cartada de Infantino, que viu crescerem sua influência e seu prestígio em países periféricos do futebol. Muitos dos que dificilmente teriam a oportunidade de jogar um Mundial passaram a ter chances bem maiores.

Haverá também mais dinheiro em movimento. As contas são periodicamente refeitas, mas a expectativa da entidade que rege o futebol é uma arrecadação de ao menos US$ 6,5 bilhões (R$ 33,2 bilhões, na cotação atual).

O torneio passará a ter um total de 80 partidas, 16 mais do que no formato atual. No certame de 2026, deverão ocorrer 60 confrontos em território norte-americano, dez no México e outros dez no Canadá. A final será nos Estados Unidos.

Siga-nos